Guiné-Bissau - 
Artigo publicado em 19 de Fevereiro de 2013 - Atualizado em 20 de Fevereiro de 2013

Autoridades da Guiné-Bissau acreditam que depois do FMI outras ajudas virão

Logo do Fundo Monetário Internacional
Logo do Fundo Monetário Internacional

RFI

O ministro das Finanças de transição, Abubacar Demba Dahaba, acredita que com a retoma das actividades do Fundo Monetário Internacional,nos país,  outros doadores internacionais irão também regressar.

As declarações do ministro das Finanças de transição guineense, Abubacar Demba Dahaba, foram proferidas após o encontro que o chefe da missão do Fundo Monetário Internacional, Maurice Villaverde, manteve com o primeiro-ministro de transição, Rui de Barros.

O Fundo Monetário Internacional está no país com uma missão para avaliar o desempenho feito pelo Governo de transição. Para já trata-se apenas de uma missão de prospecção, porém o responsável pela pasta das finanças de transição mostra-se confiante com a visita.

O representante do FMI para a Guiné-Bissau diz ter aproveitado as consultas na capital para analisar e dar opinião sobre a proposta do Orçamento Geral do Estado de 2013, e ainda discutir as propostas de agenda das actividades de assistência particularmente na área tributária e das reformas das Finanças Publicas.

Recorde-se que o Fundo Monetário Internacional tinha suspendido a ajuda ao país, na sequência do golpe de estado, e este retorno é visto pelas autoridades de transição com um voto de confiança.

Correspondência da Guiné-Bissau
 
19/02/2013
 
 

Com a colaboração do nosso correspondente em Bissau, Mussa Baldé.

tags: África - África Lusófona - Ajuda financeira - Doação - FMI - Guiné-Bissau - Orçamento
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close