Conteúdo sindicado
Alfredo Valladão
Referendo na Escócia pode ser estopim para movimentos separatistas na Europa
16/09/2014 - O Mundo Agora

Referendo na Escócia pode ser estopim para movimentos separatistas na Europa

Esta semana saberemos se a Escócia decidiu se divorciar do Reino Unido depois de mais de três séculos de casamento. Se houver rompimento, haverá choro, ranger de dentes, mas uma coisa é certa: a separação será feita de maneira civilizada como manda o figurino britânico. O problema, na verdade, não é o casal, mas os amigos do resto da Europa. O voto independentista escocês, qualquer que seja o resultado final, já está dando asas a todos os movimentos separatistas do Velho Continente.

Os americanos não querem mais ser a polícia do mundo
09/09/2014 - O Mundo Agora

Os americanos não querem mais ser a polícia do mundo

Barack Obama anunciou que vai revelar, na véspera do aniversário dos atentados do 11 de setembro, a sua estratégia para combater e vencer o dito “Estado Islâmico”. Já era tempo. Poucos dias atrás o presidente americano declarava simplesmente que ainda não tinha nenhum plano para enfrentar esse movimento terrorista – e particularmente bárbaro – que já controla um enorme território no norte do Iraque e da Síria, e ameaça todos os Estados e governos do Oriente Médio, grandes e pequenos.

Marina representa boa parte do descontentamento geral no Brasil
02/09/2014 - O Mundo Agora

Marina representa boa parte do descontentamento geral no Brasil

Em menos de duas semanas, Marina Silva passou de vice de uma chapa ainda modesta à favorita da eleição presidencial de outubro.
Mundo está ameaçado por guerras cada vez mais violentas
26/08/2014 - O Mundo Agora

Mundo está ameaçado por guerras cada vez mais violentas

O hiato simbólico é terrível. Por um lado, os países europeus não param de comemorar os 70 anos do começo do fim da Alemanha nazista e da pior guerra da história da humanidade. Por outro lado, uma guerra de verdade está sendo travada no solo europeu – na Ucrânia. E quem não sabe que conflitos armados na Europa são sempre prelúdios que acabam engolfando o resto do planeta?

Em 10 anos, economia digital vai reger crescimento e poder político
19/08/2014 - O Mundo Agora

Em 10 anos, economia digital vai reger crescimento e poder político

Na sua crônica semanal, o cientista político Alfredo Valladão analisa a quantas andam as economias globais.
Guerras no Oriente Médio são marcadas por paradoxos
12/08/2014 - O Mundo Agora

Guerras no Oriente Médio são marcadas por paradoxos

« A guerra é a continuação da política por outros meios ». A frase é do general prussiano Carl von Clausewitz, o pai dos estudos estratégicos militares, que tirava as lições das grandes campanhas de Napoleão Bonaparte. O corolário desta afirmação é que sem objetivo político a guerra não tem sentido. Olhando para o Oriente Médio – Síria, Iraque ou Israel-Palestina – não há dúvida de que faltam finalidades políticas inteligíveis. As guerras na região parecem atoladas numa violência perpétua, sem vencedores nem perdedores.

Para EUA, ainda não é tarde para abocanhar o mercado africano
05/08/2014 - O Mundo Agora

Para EUA, ainda não é tarde para abocanhar o mercado africano

Na sua crônica política internacional, o professor de Ciências Políticas Alfredo Valladão analisa o interesse tardio dos Estados Unidos pelo continente africano e nos aponta qual é o coringa que os americanos têm na manga: o indiscutível know-how americano.

Tragédia do boeing da Malaysia Airlines na Ucrânia enfraquece Putin
22/07/2014 - O Mundo Agora

Tragédia do boeing da Malaysia Airlines na Ucrânia enfraquece Putin

Vladimir Putin inaugurou na Ucrânia uma nova maneira de guerrear. Mandar tropas contra um país vizinho com uniformes sem identificação, como se fossem soldados sem pátria, saídos do nada. Treinar, apoiar e armar com armas cada vez mais sofisticadas grupos irregulares de rebeldes locais, misturados e comandados por forças especiais russas camufladas em guerrilheiros. Uma tática de mentira estratégica sustentada por fortes concentrações de tropas e material “oficiais” coladas à fronteira. Com esses estratagemas, o Kremlin podia continuar alimentando a ficção que não tinha nada a ver com pato. E que o esquartejamento de uma nação independente vizinha era simplesmente obra de revoltosos internos que, como por acaso, adoram a Rússia. E a mãe-Rússia não poderia ficar indiferente às “justas” reivindicações destes “patriotas” que tiveram só o azar de nascer do outro lado da fronteira.

Torcedores consideram seus times como exércitos nacionais que têm que vencer
15/07/2014 - O Mundo Agora

Torcedores consideram seus times como exércitos nacionais que têm que vencer

Antigamente o futebol era só um jogo. Nem esporte era. Depois vieram os clubes com suas torcidas bairristas. Uma pitadinha de política começou a aparecer com os times considerados campeões dos pobres e outros dos ricos. Mas até aí era tudo muito local, quase municipal. Nada novo: já no Império Bizantino, no século V, os enfrentamentos políticos passavam pelo Hipódromo e as facções das corridas de bigas, verde para os populares, azul para os aristocratas.

França, "o homem doente da Europa", tropeça nas reformas
08/07/2014 - O Mundo Agora

França, "o homem doente da Europa", tropeça nas reformas

Semana crucial para o futuro da França. O governo socialista vai tentar convencer o poder legislativo a aprovar um programa de reformas para tirar a segunda economia da zona euro do buraco.

Close