Economia/ Brasil - 
Artigo publicado em 19 de Setembro de 2012 - Atualizado em 19 de Setembro de 2012

Mantega tranquiliza empresários franceses sobre estabilidade da economia brasileira

O ministro da Fazenda, Guido Mantega.
O ministro da Fazenda, Guido Mantega.
REUTERS/Ueslei Marcelino

Lúcia Müzell

O Brasil permanece um país seguro para os investidores estrangeiros, apesar da queda da perspectiva de crescimento, garantiu hoje o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Na semana passada, o governo revisou a perspectiva de aumento do PIB de 3% para 2% neste ano, enquanto o mercado voltou a reduzir as projeções, para 1,57%. O ministro garantiu que a inflação "não vai subir".

Após dar uma palestra para empresários franceses, em Paris, o ministro afirmou que o modelo econômico baseado no estímulo ao consumo “não está esgotado”. Mantega explicou as últimas medidas do governo para sustentar o crescimento a uma plateia de grandes empresários franceses – entre eles os presidentes do Carrefour, Georges Plassat, da Dassault, Charles Edelstenne, e do banco BNP Paribas, Prot Baudouin. Todos já estão instalados no Brasil e avaliam ampliar a participação nos mercados emergentes, porém demonstraram preocupação com o futuro da economia do país, especialmente sobre o preço da mão da obra, conforme relatou o chefe da pasta da Fazenda. 

O ministro ressaltou que a retomada econômica já acontece no Brasil e que o governo trabalha com a previsão de elevação de 4% do PIB em 2013. “O crescimento do mercado de consumo vai de vento em popa”, observou. Ele espera que, nos próximos anos, entre 30 e 40 milhões das 60 milhões de pessoas que vivem na pobreza cheguem à classe média, engrossando o mercado consumidor.

O ministro voltou a criticar a lentidão dos europeus em sair da crise, comentando que as soluções “ficam postergadas para a eternidade”. “Não haverá solução a curto prazo na Europa”, afirmou Mantega, que acredita em uma recuperação econômica da zona do euro em dois ou três anos. “Os países emergentes precisam se organizar para fazer face a isso. Não podemos contar com a Europa, que está estagnada.”

Controle da inflação

O ministro destacou que as políticas de geração de empregos, qualificação da mão de obra e a desoneração da folha de pagamento, que o governo pretende intensificar no ano que vem, fazem do Brasil um país atrativo para os investidores reticentes à situação na Europa. Ele ainda explicou que as medidas para conter a queda do dólar, aliadas à redução dos preços, como a da energia elétrica, e à queda do IPI devem evitar a alta da inflação. “A inflação vai ficar sob controle. Não vai subir. O governo da presidente Dilma Rousseff sempre terá um cuidado especial com este problema, que afeta consumidores, trabalhadores e empresários", declarou.

Mantega encerrou hoje a agenda oficial em Paris, onde está desde segunda-feira e se encontrou ontem com o ministro francês das Finanças, Pierre Moscovici. Amanhã, ele segue para Londres e na sexta-feira participa de uma conferência sobre o crescimento, promovida pela revista The Economist.

 

tags: Brasil - Crescimento - Crise - Economia - PIB
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close