Culinária/Internet - 
Artigo publicado em 19 de Julho de 2012 - Atualizado em 21 de Julho de 2012

Culinária virtual se populariza no Brasil e invade redes sociais

Foto do Caldo Verde publicada no blog Boteco do JB.
Foto do Caldo Verde publicada no blog Boteco do JB.
Foto: Divulgação

Taíssa Stivanin

Em tempo de web 2.0, as redes sociais são um espaço privilegiado para os amantes da boa mesa no Brasil. Sites, blogs ou aplicativos para celulares se transformaram em ferramentas indispensáveis para os fãs de gastronomia, que dividem receitas e dicas de bons restaurantes na Internet. Bem vindos à era da culinária virtual.

Já foi o tempo em que nossas avós colecionavam receitas em um caderno velho, que ficava escondido no fundo da gaveta da cozinha. Além das redes sociais planetárias, como Fiddme ou Foodspoting, onde amantes da gastronomia do mundo todo podem dividir ou mesmo fotografar suas receitas, o Brasil também possui suas próprias redes sociais para divulgar suas especialidades. Uma delas é a versão brasileira do site allrecipes , que inclui receitas, fotos, vídeos, e onde os internautas podem, claro, publicar suas próprias criações.

Uma outra rede totalmente brasileira é +QueReceita, onde os internautas podem dividir experiências com chefs brasileiros renomados, e com os outros membros da rede. Se antes era necessário observar durante horas um cozinheiro realizar um prato, e anotar tudo passo a passo, as redes agora ajudam os adeptos da boa mesa a prepararem seus quitutes em tempo real, mas sem sair de casa. Com a vantagem que, na era da interação na web, a maioria das receitas, nesses sites, já foi testada e aprovada por milhares, ou até milhões de pessoas.

Existem muitos outros sites que reúnem informações e dicas sobre receitas e restaurantes, como o FoodBrasil. Outra ferramenta que está sendo muito explorada no setor é o site de geolocalização Foursquare. Em sua coluna na revista Carta Capital, o especialista Marcus Yabe explica que alguns restaurantes já estão dando desconto para os internautas que fizerem ‘check in’ no Foursquare no perfil do estabelecimento. O Facebook, a rede social mais popular do Brasil, também já está sendo utilizada para reservar restaurantes em São Paulo. No Twitter e no Google +, os usuários também já dividem suas receitas, fotos e vídeos com followers e amigos. Os smartphones e os aplicativos de fotos como o Instagram, facilitaram a troca entre os amantes da boa mesa. Além é claro, do You Tube, e seu canal Hungry, exclusivamente voltado para a gastronomia.

Camarão na moranga ao molho de Iemanja com abóbora e arroz de coco, do chef Emmanuel Bossoleil
Foto: Divulgação

Chef francês lança livro virtual de receitas

No Brasil, vários chefs perceberam o potencial da culinária virtual, como está sendo chamado o fenômeno de internautas que dividem a paixão pela cozinha. Um deles é o francês Emmnoel Bassoleil, radicado no país há duas décadas. Recentemente, ele lançou um aplicativo no Ipad, chamado Emmanuel Bassoleil by Numbers , que pode ser baixado gratuitamente e reúne 22 de suas receitas. Uma delas é o camarão na moranga ao molho de Iemanjá com abóbora e arroz de coco, que revelas as influências brasileiras na cozinha do chef francês.

Blogs para todos os gostos

No mundo da gastronomia virtual brasileira, como no resto do planeta, tudo começou com os blogueiros, lá pelos idos dos anos 2000, num tempo em que Facebook não era tão popular e Twitter nem existia. Com o advento da web 2.0, os blogs, hospedados na plataforma Blogger, continuam resistindo, como objeto complementar à infinidade de possibilidades que as novas tecnologias tornaram disponíveis. A Internet brasileira é povoada de blogs do gênero. Um dos destaques é o do chef gaúcho Marcelo Gonçalves, reconhecido nacionalmente. Mas nem só de chefes à la francesa vive a culinária brasileira. Um exemplo é o blog Boteco do JB. Júlio Bernardo, o dono do blog, também cozinheiro de mão cheia, testa as mesas mais renomadas de São Paulo, com comentários ácidos sobre alguns menus pra lá de pretensiosos.

Rita Lobo, pioneira do Panelinha

Há cerca de dez anos, num tempo em comida e Internet não estavam intimamente ligados, Rita Lobo, crítica de gastronomia desde 1995, e autora de vários livros, criou o Panelinha. Ainda hoje, a página é uma referência para a cozinha do dia-a-dia. Com o tempo, o site ganhou blogs de colaboradores e videos explicando como fazer as receitas. As melhores estão compiladas em um livro, “Panelinha - Receitas que Funcionam’’, da editora Senac. Que você, claro, pode ler em um tablet.

 

tags: Brasil - Facebook - França - Gastronomia - Microblogs - Redes Sociais - Twitter
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close