Museu/ABBA - 
Artigo publicado em 07 de Maio de 2013 - Atualizado em 07 de Maio de 2013

Museu do ABBA conquista fãs no primeiro dia de abertura na Suécia

Bjoern Ulvaeus, membro original do quarteto ABBA, durante o lançamento do Museu do grupo, nesta terça-feira, dia 7 de maio de 2013, em Estocolmo.
Bjoern Ulvaeus, membro original do quarteto ABBA, durante o lançamento do Museu do grupo, nesta terça-feira, dia 7 de maio de 2013, em Estocolmo.
REUTERS/Arnd Wiegmann

RFI

O museu do lendário grupo sueco ABBA abriu suas portas nesta terça-feira, dia 7 de maio, em Estocolmo. Os fãs se acumulavam na entrada desde cedo no local que vem sendo chamado de templo das maiores estrelas do disco pop, estilo imortalizado nos anos 70.

Ao todo, o museu do ABBA tem 1,3 mil metros quadrados que contam a história do quarteto formado por Benny Anderson, Anni-Frid Lyngstad, Agnetha Fältskog e Björn Ulvaeus em 1970. Além disso, os visitantes também conhecer os bastidores das reproduções do camarim e da cabine onde o grupo compunha suas músicas, admirar seus discos de ouro e platina e os figurinos utilizados durante os shows.

Os fãs também poderão subir no palco e cantar os maiores sucessos da banda, como “Mamma Mia” e “Dancing Queen”. O museu oferece ainda a possibilidade aos visitantes de dançarem em uma pista anos 70 e de se sentar no interior do célebre helicóptero que aparece na capa do álbum "Arrival", de 1976.

Um dos primeiros fãs a entrar no museu, o sueco Henrik Ahlen, de 46 anos, disse estar emocionado com a experiência. “É fantástico que possamos rever a história do ABBA. Eu tinha oito anos quando eles venceram o Concurso europeu de música Eurovision, em 1974, e eles sempre fizeram parte de minha vida”, contou.

O músico Björn Ulvaeus é o membro da banda que mais se envolveu neste projeto. “Espero que os outros integrantes estejam contentes”, declarou ressaltando a importância de imortalizar a carreira do quarteto que durou 12 anos. No entanto, Ulvaeus tratou de desmentir qualquer possibilidade de uma volta do grupo. “Só aqui no museu vocês poderão nos ver juntos”, ressaltou.

O espaço pretende atrair mais de 250 mil visitantes em 2013. O preço do ingresso, 23 euros (cerca de 60 reais), parece estar à altura das expectativas dos fãs. “Foi genial, tudo é muito bem feito. Vou guardar tudo em minha memória”, contou a alemã Anna Wagner, ao sair do local.

O Abba é um dos grupos de música suecos mais conhecidos no mundo. Canções como “Super Trouper”, “Money Money Money”, “Knowing me, Knowing You”, “Fernando”, entre outros hits que fizeram o tour do planeta. O quarteto vendeu 370 milhões de álbuns no total e influencia artistas da cena pop até hoje como Madonna, que utilizou trechos de “Gimme Gimme Gimme” na faixa Hung Up do álbum Confessions on a Dance Floor (2005). Recentemente, o músico roqueiro Dave Grohl, da banda Foo Fighters, e ex-baterista do Nirvana, também disse se inspirar na banda para compor algumas músicas.

Outro sucesso é o musical Mamma Mia!, escrito pela britânica Catherine Johnson e baseado nas canções do grupo sueco. O espetáculo vem sendo levado aos palcos dos teatros do mundo inteiro desde 1999 e foi visto por mais de 42 milhões de pessoas. A peça também foi adaptada para o cinema em 2008 estrelando Meryl Streep, Colin Firth, Pierce Brosnan, Amanda Seyfried, entre outros.
 

tags: ABBA - Cultura - Estocolmo - Museu - Música - Suécia
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close