OCDE - 
Artigo publicado em 21 de Setembro de 2011 - Atualizado em 21 de Setembro de 2011

Subsídios agrícolas chineses foram 6 vezes maiores em 2010

O relatório foi publicado nesta quarta-feira, na OCDE, em Paris.
O relatório foi publicado nesta quarta-feira, na OCDE, em Paris.
Flickr/OCDE

Ana Carolina Dani

Os subsídios agrícolas na China foram 6 vezes maiores em 2010 do que em 2009, segundo um relatório publicado nesta quarta-feira pela OCDE, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, com sede em Paris.

O relatório "Políticas Agrícolas 2011" demonstra que a ajuda direta aos agricultores chineses cresceu, o que seria, na opinião dos analistas, uma maneira de aumentar a renda dos produtores.

Mas no conjunto dos países da organização, a tendência é de queda. Em 2010, os 30 países membros da OCDE concederam 227 bilhões de dólares em subsídios agrícolas, ou seja, 5,8% a menos do que no ano anterior. O montante representou, no ano passado, 18% da renda dos agricultores, enquanto em 2009 esse percentual era de 22%.

O documento demonstra, ainda, que a divisão dos subsídios varia muito de um país a outro. A Nova Zelândia, por exemplo, é o país que menos subvencionou a agricultura, seguida pela Austrália e Chile.

Entre os países que mais subvencionam, estão a Coreia do Sul, Islândia, Japão, Suíça e Noruega, cujos subsídios correspondem a 60% da renda dos agricultores.

Já a União Europeia diminuiu os subsídios para 22% da renda total de seus agricultores, mas a média europeia ainda é maior do que a média dos países da OCDE. O Brasil é citado como um dos países que pouco subsidiam a agricultura.

tags: OCDE - Subsídio
Close