G20/Paris - 
Artigo publicado em 14 de Outubro de 2011 - Atualizado em 14 de Outubro de 2011

Mantega diz estar otimista com propostas para a crise na Europa

Ministro da Fazenda, Guido Mantega, está em Paris para reunião ministerial do G20.
Ministro da Fazenda, Guido Mantega, está em Paris para reunião ministerial do G20.
Reuters

Ana Carolina Dani

O ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, disse nessa sexta-feira, em Paris, estar mais otimista com relação às propostas que vem sendo apresentadas antes da reunião ministerial do G20 para resolver a crise na Europa. Mantega afirmou que França e Brasil estão de acordo sobre a necessidade de reforçar os recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) para enfrentar a crise, mas disse que o formato da capitalização e os valores ainda estão sendo definidos.

"Há um certo consenso de que devemos reforçar o FMI, pelo menos da parte da França e do Brasil. A questão é qual é o modelo que vamos adotar. Acho importante que, diante de uma nova crise mundial, o FMI tenha mais recursos para utilizar, não somente para os paípses europeus, mas também para os emergentes, que poderão ser afetados, caso a crise se agrave", afirmou Mantega.

A mesma posição é dividida pelo ministro sul-africano da Economia, Pravin Gordhan, que disse nesta sexta-feira, em Paris, que os recursos do FMI não serão suficientes se a crise atual piorar. A principal discordância vem, entretanto, dos Estados Unidos. Para o secretário do Tesouro norte-americano, Thimoty Geithner, o FMI tem "recursos bastante substanciais".

Guido Mantega não quis esclarecer qual é a posição do Brasil nas negociações sobre o reforço do Fundo. Os países emergentes poderiam condicionar a injeção de mais recursos ao aumento das cotas junto ao FMI.

Guido Mantega, ministro brasileiro da Fazenda
 
13/10/2011
 
 

Mantega também disse ter saído mais otimista da reunião bilateral que teve hoje com o ministro francês da Economia, François Baroin. Segundo ele, Baroin apresentou algumas soluções importantes para resolver o problema da Grécia e da crise da dívida soberana, a fragilidade dos bancos europeus e o reforço do FMI. 

Guido Mantega chegou a Paris nesta quarta-feira para participar da reunião ministerial do G20, grupo que reúne as maiores economias mundiais. Ontem, o ministro brasileiro defendeu a participação do setor público na recapitalização dos bancos para que a crise atual não se alastre e afete a economia mundial.

Os ministros das Finanças do G20 devem, nesta sexta-feira e sábado, preparar as propostas e soluções que serão apresentadas em novembro, em Cannes, durante a cúpula do chefes de governo e de estado do grupo. O plano de ação contra a crise somente deve, entretanto, ser consolidado e revelado no dia 23 de outubro, durante cúpula em Bruxelas.

De acordo com a presidência do G20, o plano deve incluir medidas para recapitalização dos bancos europeus, redução da dívida grega detida por credores privados e reforço do “poder de fogo” do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira, criado para socorrer os paises mais fragilizados do bloco.

tags: Crise financeira - Zona do Euro
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close