Últimas notícias
Portugal/crise econômica - 
Artigo publicado em 21 de Janeiro de 2012 - Atualizado em 22 de Janeiro de 2012

Credores constatam aplicação de reformas em Portugal

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, neste sábado, em Lisboa.
O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, neste sábado, em Lisboa.

RFI

Representantes da troica União Europeia – Banco Central Europeu – Fundo Monetário Internacional constataram a adoção de um pacote de medidas de austeridade por Lisboa, em troca de ajuda internacional.

“As reformas previstas estão em curso”, declarou neste sábado, durante uma coletiva de imprensa em Lisboa, Jürgen Kröger, chefe da missão da Comissão Europeia encarregada de acompanhar o plano de ajuda a Portugal.

Em troca do empréstimo de 78 bilhões de euros da União Europeia e do FMI, Portugal se comprometeu a colocar em vigor um vasto programa de austeridade e reformas. O governo do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho assinou com os representantes do patronato e da segunda confederação sindical do país um acordo pelo ‘crescimento, competitividade e trabalho’. Entre as medidas previstas estão a supressão de feriados e redução de folgas.

Os credores de Portugal estavam desde quinta-feira em Lisboa para participar de discussões informais com as autoridades portuguesas a respeito de reformas em diversos setores. Segundo algumas previsões, Portugal deverá registrar neste ano de 2012 uma recessão de 3% do PIB, decorrente, em grande parte, do impacto das medidas adotadas.
 

tags: Crise financeira - Portugal
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários (1)

desabafo

Este país tem vivido desde 74 até 2002, mais ou menos de uma maneira, como até aí nunca tinha vivido.E isto é assim: quem gasta o que tem,e não tem; mais tarde ou mais cêdo vem a pedir.Assim aconteceu a Portugal,governado por governantes distraído,e gerentes de bancos gananciosos que não davam conta do erro em que estavam a caír.Então o povo embalado nessa mesma distração, so deu conta quando já era tarde. Hoje vai ser difícil ou muito difícil, o primeiro ministro ao tomar a governação deste país, fe-lo como se lá diz com a corda no pescoço e quer corrigir ábitos que aos olhos de muito boa gente parece mal:vá lá que o povo português não copiado as azeneiras que Grécia tem feito, que parece que querem encontrar soluções destruindo o que tanto lhes custou a ganhar e construír.Nós não estariamos assim se ouvesse sentido de responsabilidade,mas não,empresta-se dinheiro para comprar casa, mobílias, carros e férias, é claro que agora paga o justo pelo pecador.

Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close