Agricultura/ seca - 
Artigo publicado em 13 de Agosto de 2012 - Atualizado em 13 de Agosto de 2012

G20 poderá intervir se alta dos preços de cereais permanecer

Seca afeta plantação de soja em Princenton, nos Estados Unidos, nesta foto de 18 de julho.
Seca afeta plantação de soja em Princenton, nos Estados Unidos, nesta foto de 18 de julho.
REUTERS/John Sommers II

RFI

A tensão nos mercados agrícolas devido à seca nos Estados Unidos pode levar o G20 a realizar uma reunião de emergência do Fórum de Reação Rápida, uma instância do G20, no início de setembro. A entidade atualmente é presidida por Paris.

Há várias semanas, os preços das matérias-primas se elevaram em boa parte do planeta após a forte seca que atinge os Estados Unidos e a Rússia, dois grandes produtores mundiais. Em junho, o preço do trigo subiu 19% e o do milho 23%, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). A alta lembra a registrada em 2008, quando distúrbios ocorreram nos países importadores mais pobres africanos devido às dificuldades em comprar alimentos básicos.

A maior diferença em relação à época dos “distúrbios da fome” é que, em 2008, havia uma grande quantidade de estoques de arroz e trigo, grãos essenciais para a segurança alimentar mundial. Essa situação não acontece hoje.

Na sexta-feira, o departamento americano de Agricultura abaixou as previsões de produção mundial de trigo para a safra deste ano, enquanto que a colheita de milho é a menor dos últimos seis anos. A situação levou o presidente Barack Obama a exortar o Congresso a adotar um projeto de lei para ajudar os produtores rurais do país afetados pela seca.

Diante deste quadro, uma teleconferência será feita no final do mês entre a França, os Estados Unidos – que sucedem os franceses na presidência do Fórum de Reação Rápida a partir de outubro – e o México, que exerce a presidência rotativa do G20, para determinar a necessidade de uma reunião de urgência do grupo de países mais ricos do mundo.

Este fórum, instaurado em 2011, reúne os maiores produtores agrícolas do planeta e oito dos países mais importadores – Espanha, Egito, Nigéria, Tailândia, Filipinas, Paquistão, Bangladesh e Cazaquistão. A instância foi criada para oferecer uma resposta coordenada em caso de forte tensão nos mercados, para evitar reações unilaterais que pudessem agravar a situação. Isso ocorreu em 2010, quando a Rússia interrompeu abruptamente suas exportações de trigo, causando transtornos mundiais para os compradores do cereal.
 

tags: Agricultura - Cereais - Economia - Estados Unidos - G20 - Preço - Rússia
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close