Crise/Zona do euro - 
Artigo publicado em 04 de Outubro de 2012 - Atualizado em 04 de Outubro de 2012

Draghi comemora progressos "notáveis" na Espanha

O presidente do BCE, Mario Draghi, comemorou nesta quinta-feira avanços nas reformas na Espanha e em Portugal.
O presidente do BCE, Mario Draghi, comemorou nesta quinta-feira avanços nas reformas na Espanha e em Portugal.
REUTERS/Srdjan Zivulovic

RFI

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, avaliou hoje que a Espanha fez progressos "notáveis" na aplicação de reformas econômicas nos últimos meses. Mas ele admitiu que ainda existem "dificuldades importantes". Essas delcarações foram feitas no mesmo dia em que a Espanha conseguiu levantar quase € 4 bilhões com duas emissões de títulos que beneficiaram de juros mais baixos do que nos últimos meses, mas que não dissiparam as perspectivas sombrias para a economia do país.

Os mercados financeiros ainda esperam que Madri solicite em breve a ajuda dos fundos europeus de resgate, o que permitiria a compra de títulos da dívida púbilca espanhola pelo BCE. "São os governos que devem decidir" se pedem ou não a ajuda, lembrou Draghi em entrevista coletiva.

"O problema mais urgente que a economia espanhola enfrenta é recuperar a confiança dos mercados", reconheceu o governador do banco central da Espanha, Luis María Linde, diante do parlamento espanhol.

Ele traçou perspectivas sombrias, alertando para o risco de um novo desvio orçamentário e de uma recessão maior do que a prevista em 2013.

A possibilidade de uma ajuda europeia para recuperar a economia espanhola será um dos temas em pauta no encontro trilateral desta sexta-feira entre o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, o presidente francês, François Hollande, e o presidente do Conselho italiano, Mario Monti, em Malta.

Banco Central Europeu

O presidente Madrio Draghi também comemorou "progressos significativos" em Portugal, um outro pais endividado da zona do euro que mantém uma política de austeridade apesar do descontentamento popular.

Portugal levantou nesta quarta-feira cerca de € 3,8 bilhões graças à venda de títulos com vencimento em 2015 com uma taxa de juros em queda. Essa foi a primeira operação com títulos a médio prazo desde que o país beneficiou da assistência financeira da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.

Em sua reunião mensal realizada na Eslovênia, o BCE decidiu nesta quinta-feira não modificar sua principal taxa de juros, que permaneceu em 0,75%.

tags: Banco Central Europeu - Déficit - Dívida - Economia - Espanha - Mario Draghi - Portugal
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close