O Mundo Agora

 
Alfredo Valladão.
Alfredo Valladão.

Crônica de política internacional de Alfredo Valladão, do Instituto de Estudos Políticos de Paris

Mais informações

Último programa : 19 de Agosto de 2014
Em 10 anos, economia digital vai reger crescimento e poder político

Em 10 anos, economia digital vai reger crescimento e poder político

Na sua crônica semanal, o cientista político Alfredo Valladão analisa a quantas andam as economias globais.

Arquivos

12 de Agosto de 2014
Carregamento de bombas em caças americanos em agosto de 2014.

Guerras no Oriente Médio são marcadas por paradoxos

« A guerra é a continuação da política por outros meios ». A frase é do general prussiano Carl von Clausewitz, o pai dos estudos estratégicos militares, que tirava as lições das grandes campanhas de Napoleão Bonaparte. O corolário desta afirmação é que sem objetivo político a guerra não tem sentido. Olhando para o Oriente Médio – Síria, Iraque ou Israel-Palestina – não há dúvida de que faltam finalidades políticas inteligíveis. As guerras na região parecem atoladas numa violência perpétua, sem vencedores nem perdedores.

05 de Agosto de 2014
Tecnologia e produtos modernos americanos devem atrair milhões de consumidores africanos.

Para EUA, ainda não é tarde para abocanhar o mercado africano

Na sua crônica política internacional, o professor de Ciências Políticas Alfredo Valladão analisa o interesse tardio dos Estados Unidos pelo continente africano e nos aponta qual é o coringa que os americanos têm na manga: o indiscutível know-how americano.

29 de Julho de 2014
Criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) pelos cinco países que formam os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul)

Banco dos Brics será « apêndice » do Banco Mundial e FMI

Agora que baixou a poeira, dá para olhar de maneira mais serena para o novo banco dos BRICS, criado na Cúpula de Fortaleza no dia 15 de julho passado. Os comentários foram exaltados como sempre quando alguma coisa é feita à revelia das potências ocidentais. “Desafio ao Ocidente”, “alternativa ao Banco Mundial”, “o Sul financeiramente independente”, foram algumas das manchetes esperançosas ou angustiadas da mídia do Sul e do Norte.

PROGRAMAÇÃO
Close