Últimas notícias
Europa / Imigração - 
Artigo publicado em 10 de Julho de 2012 - Atualizado em 10 de Julho de 2012

Áustria deve apostar na imigração para resolver problema demográfico, diz ministro

Segundo vários analistas, o envelhecimento da população europeia deverá aumentar a demanda por mão-de-obra estrangeira.
Segundo vários analistas, o envelhecimento da população europeia deverá aumentar a demanda por mão-de-obra estrangeira.
Flickr/Wanderlinse

RFI

A Áustria vai ter que apostar na imigração para compensar uma falta de mão-de-obra previsível nos próximos anos, declarou nesta terça-feira o ministro austríaco encarregado das questões sociais, Rudolf Hundstorfer. "Nos próximos oito anos, teremos 170 mil trabalhadores a menos. E não haverá jovens par substituí-los", explicou o ministro social-democrata em uma entrevista concedida à rádio pública austríaca Ö1.

Para preencher essas lacunas, Rudolf Hundstorfer preconiza uma melhor qualificação dos jovens que chegam ao mercado de trabalho e um aumento do índice de atividade das mulheres. Além disso, os austríacos deverão também trabalhar mais tempo, após os 60 anos, o que necessita uma "mudança de atitude", tanto por parte dos empregados que dos empregadores, disse ele.

Mas todas essas medidas não serão suficientes para enfrentar o desafio demográfico na Áustria nos próximos anos, segundo o ministro. Ele considera que seu país terá que apelar para a imigração. "Se desejamos manter nossa performance econômica, teremos que utilizar a imigração, não temos outras soluções. Podemos nos preparar positivamente e ativamente para isso", explicou.

A Áustria é o país com menor índice de desemprego da União Europeia, com 4,1% em maio, segundo o instituto de estatísticas Eurostat.

Europa

Em uma entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal francês Le Monde, a comissária europeia para as questões internas, Cecilia Malmström, faz declarações similares no que diz respeito a toda a União Europeia. Ela está em Paris para se encontrar com o ministro francês do Interior, Manuel Valls, que aprovou no último Conselho Europeu o princípio de restabelecimento do controle nas fronteiras internas do bloco em caso de circunstâncias "excepcionais".

"A imigração será necessária, dada a evolução da demografia nos nossos países. Estima-se que em 2030, sem imigração, a população europeia em idade de trabalhar terá uma diminuição de 12%", disse Cecilia Malmström.

"Um relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômicos) acaba de mostrar que muitas pessoas suscetíveis de emigrar são menos tentadas pela Europa e mais atraídas pelo Brasil, o Canadá ou a Austrália, ou até mesmo Angola e Moçambique. A longo prazo, isso pode nos causar grandes dificuldades. A própria OCDE também mostra que a pressão migratória sobre a Europa está diminuindo. Mas é claro que isso pode ser um efeito temporário da crise que atravessamos", acrescentou a comissária europeia.

Cecilia Malmström defende um aumento da imigração legal, o que segundo ela ajudaria a lutar contra a imigração ilegal. 

tags: Áustria - Comissão Europeia - Controle de Imigração - Europa - Imigração - OCDE
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários (2)

Mentira

Essa foi a declaração do Ministro e que não reflete em nada a opinião da Áustria. Pais extremamente xenofóbico e ainda sim nazista. Eles odeiam imigrantes e deixam bem claro isso mesmo quando precisam (para estabilizar a economia por exemplo). Morem la para você ver. Eles são terríveis. Um pais com uma qualidade de vida excepcional mas com uma ideologia ainda nazista de dar medo!

Frase dos tempos: WIR BRAUCHEN MIGRATION!

Olá amigos da RFI, e por que não da ORF, esta uma companheira das ondas curtas por decênios, pois bem; Num momento em que se enxota imigrantes em quase todos os países da UE eis que surge "uma luz" no fim do túnel. qual seja: As declarações do Ministro austríaco Rudolf Hundstorfer onde diz apostar e precisar da mão-de-obra do IMIGRANTE e serão centenas. Um exemplo a ser invejado e seguido onde a crise, mais política do que econômica, atirou os países nela UE num beco sem saída em tese, a AUSTRIA prova o contrário e aposta justo nos rejeitados. Felicito ao Ministro Rudolf e sua frase é a pedra no caminho dos intransigentes.

Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close