Noruega/ massacre - 
Artigo publicado em 26 de Julho de 2012 - Atualizado em 26 de Julho de 2012

Familiares protestam contra divulgação de áudio de Breivik

Parentes e convidados das vítimas e sobreviventes do massacre de Utoya voltam à ilha um ano depois, neste 22 de julho.
Parentes e convidados das vítimas e sobreviventes do massacre de Utoya voltam à ilha um ano depois, neste 22 de julho.
REUTERS/Leonhard Foeger

RFI

Os advogados dos familiares das vítimas de Anders Behring Breivik exigiram hoje a retirada da internet de um discurso pronunciado pelo atirador no final de seu processo. A divulgação da gravação viola a Justiça norueguesa.

O áudio do discurso foi publicado no site Youtube por um internauta alemão, que afirmou ter obtido o material através de um deputado da direita populista norueguesa, de um partido ao qual Breivik foi momentaneamente filiado. A exposição foi feita no tribunal de Oslo, enquanto Breivik explicava suas motivações para os ataques a um prédio do governo e à ilha de Utoya, que resultaram na morte de 77 pessoas, no ano passado.

Para evitar a propagação das ideias do atirador, defensor da extrema-direita, a Justiça do país proibiu qualquer retransmissão audiovisual das suas declarações, embora tenha autorizado a transrição da sua fala para publicação na imprensa. Informada sobre a existência do link no Youtube, em norueguês, uma das advogadas que representam os familiares, Mette Yvonne Larsen, solicitou a retirada do conteúdo do ar.

“Acionei o tribunal de Oslo para que os fatos sejam verificados e eventualmente punidos”, declarou. “Essa gravação mostra uma falta de respeito pela decisão da Justiça e provoca o problema de o discurso ser um apelo à violência cometida por um indivíduo perigoso.”

Um porta-voz do tribunal afirmou que a difusão da gravação é ilegal e que a Corte examinaria o que fazer. O áudio dura 45 minutos e foi gravado no último dia do processo contra Breivik, em que é acusado de ser o autor do massacre. Ele argumenta ter realizado os atos para “proteger os noruegueses puros” contra “o islã e o multiculturamismo”.

Em 22 de julho de 2011, o extremista explodiu uma bomba diante da sede do governo norueguês, em Oslo, matando oito pessoas, e em seguida abriu fogo contra um acampamento de jovens do partido Trabalhista, causando 69 vítimas – a maioria adolescentes. O veredito do processo é esperado para o dia 24 de agosto.
 

tags: Anders Behring Breivik - Ataques - Internet - Justiça - Noruega - Vítimas
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close