Rússia/Justiça - 
Artigo publicado em 17 de Agosto de 2012 - Atualizado em 17 de Agosto de 2012

Justiça russa condena as cantoras do Pussy Riot a 2 anos de prisão

As cantoras do grupo Pussy Riot no tribunal de Moscou, nesta sexta-feira 17 de agosto.
As cantoras do grupo Pussy Riot no tribunal de Moscou, nesta sexta-feira 17 de agosto.
REUTERS/Sergei Karpukhin

RFI

O tribunal Khamovnitcheski de Moscou condenou na tarde desta sexta-feira as três jovens do grupo de punk rock russo Pussy Riot a dois anos de prisão. As garotas foram consideradas culpadas por  "vandalismo motivado por ódio religioso" por terem feito um protesto contra o presidente Vladimir Putin em uma igreja de Moscou.

Durante a leitura da sentença, que durou cerca de três horas, a juíza Syrova, que está sob proteção do estado, destacou o caráter de sacrilégio da apresentação do grupo e do "ódio pela religião" expressada pelas três cantoras. A juíza citou vários depoimentos de empregados e dos agentes de segurança da Catedral de Moscou que entraram com uma ação por sofrimentos morais, devido à oração punk apresentada pelo grupo. 

A promotoria havia pedido a condenação de três anos de prisão em um campo de trabalhos forçados para as jovens. A pena máxima para casos de vandalismo na Rússia é de sete anos. A defesa das cantoras pediu que elas fossem libertadas.

Elas foram julgadas por terem realizado em fevereiro uma performance artística na catedral de Moscou criticando o presidente Vladimir Putin e as ligações entre a igreja ortodoxa e o poder na Rússia.

NádiaTolokonnikova, de 22 anos, Kátia Samoutsevitch, 30 anos, e Masha Alekhina, 24 anos, detidas desde março, foram transferidas esta manhã para o tribunal de Moscou. Elas escutaram com tranquilidade a leitura da sentença. "É uma vergonha, uma injustiça", gritaram fãs do grupo presentes no tribunal durante o anúnico da sentença. 

As principais personalidades de contestação ao regime de Putin foram ao tribunal em Moscou para apoiar as cantoras. Críticos do grupo Pussy Riot também estiveram presentes.

O caso dividiu a Rússia. Padres e fiéis denunciaram a profanação da catedral e um ataque contra a igreja. Mas parte da opinião pública russa considerou o processo contra as cantoras exagerado.

O caso também ganhou uma dimensão internacional. As integrantes do grupo Pussy Riot receberam nas últimas semanas o apoio de vários artistas de renome como Paul McCartney, Madonna, Sting e Yoko Ono.

Hoje, manifestações de apoio às cantoras serão organizadas em várias cidades do mundo. Em Paris, o protesto será realizado na frente do centro cultural Georges Pompidou, na região central da cidade.

tags: Condenação - Justiça - Punk Rock - Pussy Riot - Rússia - Vladimir Putin
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários (1)

É NISSOQUE DÁ O VANDALISMO!!!

Se elas quisessem protestar de forma correta iriam para as ruas e praças, mas dentro da igreja isso é demais, que isso sirva de lição, tem que haver punição para quem desrespeita milhões de cristãos, e muitos que estão a favor dessas 3 mulheres, duvido que queiram elas em suas casas...adotem elas bando de hipocritas...

Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close