França/Moda - 
Artigo publicado em 25 de Fevereiro de 2011 - Atualizado em 25 de Fevereiro de 2011

Dior suspende John Galliano, depois de acusação de racismo e antissemitismo

O estilista britânico John Galliano no final do desfile Outono/Inverno 2010-2011da grife francesa Dior em Paris, em julho de 2010.
O estilista britânico John Galliano no final do desfile Outono/Inverno 2010-2011da grife francesa Dior em Paris, em julho de 2010.
REUTERS/Benoit Tessier/Files

Leticia Constant

A griffe francesa de luxo Christian Dior anunciou nesta sexta-feira a suspensão de seu diretor de criação, John Galliano, preso em um bar em Paris depois de proferir insultos racistas e antissemitas contra um casal.
 

O comunicado da Maison Dior é bem claro: "Dior afirma com a maior severidade sua política de tolerância zero ao encontro de qualquer comentário ou atitude racista ou antissemita. Enquanto aguarda os resultados da investigação, Christian Dior suspendeu John Galliano de suas funções." Assim termina o comunicado, assinado pelo próprio presidente da Dior, Sidney Toledano.

O excêntrico estilista britânico foi preso no badalado bar "La Perla", no bairro do Marais, em Paris. É justamente neste bairro, onde Galliano mora, que se concentra a comunidade judaica da capital. Bêbado, ele teria insultado um casal  com frases racistas e antissemitas.

Galliano ficou detido por algumas horas na delegacia e levado para casa por policiais.

Fashion Week

O advogado de John Galliano desmente os insultos. Ele reconhece que houve uma discussão e que o estilista teria sido agredido verbalmente mas, em nenhum momento, teria proferido tais insultos. O advogado disse ter testemunhas para provar a afirmação. Já outras testemunhas, dizem o contrário. Quanto ao casal, foi entrevistado pela rádio francesa Europe 1 e confirmou as acusações.

John Galliano tem 50 anos e desde 1996 dirige o departamento de criação da Maison Dior, destacando-se por suas criações originais e desfiles faraônicos. Em 1999, ele também passou a ser responsável pela imagem da Dior, além do conjunto das linhas femininas e artefatos de couro da marca.

O escândalo acontece a três dias da abertura da Fashion Week de Paris, que se realiza de 1° a 9 de março.

Reações

O Conselho Representativo das Instituições Judaicas da França e a Liga Internacional contra o Racismo e o Antissemitismo reagiram ao caso e cumprimentaram a Maison Dior por sua decisão de suspender o estilista de suas funções.

 

tags: Racismo
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close