França/Escândalo - 
Artigo publicado em 30 de Maio de 2011 - Atualizado em 30 de Maio de 2011

Ex-secretário francês envolvido em escândalo sexual pode perder cargo de prefeito

O secretário de Estado da Função Pública de França, Georges Tron, demitiu-se ontem(29) do cargo
O secretário de Estado da Função Pública de França, Georges Tron, demitiu-se ontem(29) do cargo
Reuters

RFI

Após pedir demissão do cargo de secretário de Estado francês para a Função Pública neste domingo, George Tron está sendo pressionado para deixar também seu cargo de prefeito da cidade de Draveil, ao sul de Paris. Ele é acusado de abuso sexual por duas funcionárias da prefeitura.

Nessa segunda-feira, em entrevista a uma rádio francesa, uma das vítimas presumidas, afirmou estar determinada a ir até o fim do processo, independentemente das represálias que possa sofrer. Os fatos relatados pelas ex-assessoras à polícia teriam ocorrido em 2007 e 2010. Em entrevista ao jornal Le Parisien de sábado, as duas mulheres, identificadas como Eloise, 36 anos, e Laura, 34 anos, fizeram duras acusações contra Georges Tron.

Elas relataram cenas de assédio de Tron, que impunha carícias íntimas durante o expediente. Laura contou à polícia ter sido obrigada a praticar jogos sexuais a três na prefeitura de Draveil, envolvendo o político e sua secretária municipal da Cultura. O jornal Le Parisien relata que Eloise tentou prestar queixa contra o secretário há dois anos, mas acabou fazendo um acordo. O advogado de Eloise afirma que sua cliente teve um quadro depressivo e pensou em se suicidar. Para intimidá-la, o ministro teria ameaçado transferir a guarda do filho dela ao serviço social do Estado.

Caso DSK motiva denúncias - Depois do caso Dominique Strauss-Kahn, a França, país conhecido por ser bastante liberal e indiferente em relação à vida sexual de seus homens políticos, parece mudar de atitude. A imprensa francesa dessa segunda-feira traz comentários e análises que indicam que as eleições de 2012 podem ser marcadas por uma maior preocupação com aspectos morais da vida de seus políticos.

Para muitas personalidades políticas entrevistadas pelos meios de comunicação franceses, os casos DSK e Tron devem permitir também de acabar com um certo sentimento de impunidade dos homens políticos no poder e que os casos devem motivar novas denúncias. Em editorial, o jornal Libération dessa segunda-feira, diz que começa a haver uma mudança na França onde casos de assédio eram muitas vezes ignorados e não eram tratados como de interesse público. A partir de agora as denúncias vão para na justiça e são investigadas, afirma o jornal.
 

tags: Abuso sexual - Dominique Strauss-Kahn - Escândalo
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Close