Paris/férias - 
Artigo publicado em 14 de Agosto de 2012 - Atualizado em 14 de Agosto de 2012

Rodízio de padeiros garante estoque de baguete em Paris em agosto

O presidente francês François Hollande em uma boulangerie de Tulle.
O presidente francês François Hollande em uma boulangerie de Tulle.
REUTERS/Regis Duvignau

RFI

Em agosto na França, a maior parte da população, incluindo comerciantes e outros profissionais, sai de férias. Para garantir a baguete nossa de cada dia para os parisienses, a prefeitura criou um rodízio entre as boulangeries, para garantir o abastecimento.

O mês de agosto em Paris se assemelha muito a janeiro em algumas capitais brasileiras: aproveitando o verão e as férias escolares, a maior parte dos franceses deixa a cidade para descansar um pouco. Para serviços essenciais, como farmácias, o serviço mínimo é garantido. Há alguns anos, as autoridades perceberam a necessidade de elaborar regras parecidas para as boulangeries, que fornecem as baguetes para os parisienses. Desde 1995, um decreto da Prefeitura de Paris estipula um ‘plantão’ para os padeiros, que são selecionados anualmente para trabalhar em julho e agosto. No total, 600 padeiros em julho e agosto devem obrigatoriamente abrir as portas para a clientela.

A lei só vale para profissionais que fabricam o pão artesanalmente. Os padeiros que tentam burlar a regra podem pagar uma multa de até 33 euros por dia de abertura ou fechamento ‘ilegal.’ Mas, em geral, apenas 20 são multados, todos os anos. Em entrevista ao jornal francês Le Parisien, Christian Voiriot, membro do organismo que representa a categoria na França, disse que rodízio beneficia a todos. “O fechamento de uma loja ajuda um outro colega’’, declara. Uma solução, entretanto, que desagrada alguns : muitos precisam trocar de padaria durante o verão, e a qualidade muitas vezes não é equivalente.

Decreto surgiu depois da Revolução Francesa

A lei, na verdade, não é exatamente uma novidade, e se inspira em um decreto de 1790. Logo depois da Revolução Francesa, para evitar a Fome generalizada, as autoridades de Paris impuseram aos padeiros a abertura obrigatória no verão. Com o surgimento das férias pagas e das leis trabalhistas, criou-se então, a partir de 1936, o rodízio para garantir o abastecimento da população e garantir o repouso de todos.
 

tags: França - Pão - Paris
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close