Últimas notícias
França/Escravidão - 
Artigo publicado em 12 de Outubro de 2012 - Atualizado em 12 de Outubro de 2012

França estuda oferecer compensação por comércio negreiro

O presidente francês François Hollande participa de entrevista coletiva ao lado do presidente do Senegal, Macky Sall, no palácio presidencial de Dakar, nesta sexta-feira.
O presidente francês François Hollande participa de entrevista coletiva ao lado do presidente do Senegal, Macky Sall, no palácio presidencial de Dakar, nesta sexta-feira.
REUTERS

RFI

Os assessores do primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault, refletem junto com associações aos meios de "compensar" simbolicamente e/ou financeiramente as consequências do tráfico de escravos negros.

O Conselho Representativo das Associações Negras (Cran), informou ter sido recebido no dia 29 de maio e na última segunda-feira por conselheiros do primeiro-ministro, "para discutir sobre as compensações ligadas à escravidão".

"O gabinete do primeiro-ministro se comprometeu a organizar uma reunião interministerial sobre esse tema até o dia 8 de novembro", acrescentou o presidente do Cran, Louis-George Tin, em um comunicado.

Fontes no governo confirmaram à agência France Presse que essas reuniões aconteceram, e especificou que as compensações não serão necessariamente financeiras, mas passarão também pela justiça e a educação.

Quando era prefeito de Nantes, primeira cidade negreira da França na costa do Atlântica, Jean-Marc Ayrault incentivou o trabalho de pesquisa histórica sobre esse tema. Um memorial da abolição da escravidão foi inaugurado no município em março.

Em viagem oficial ao Senegal, o presidente François Hollande deve reconhecer por sua vez  "as culpas do passado" durante uma visita nesta sexta-feira à "Casa dos Escravos", na ilha de Gorée, ao largo de Dakar.

A escravidão foi oficialmente abolida na França em 1848. No dia 10 de maio de 2001, uma lei qualificou a escravidão de populações de origem africana como crime contra a humanidade.

As únicas compensações que foram pagas após o fim do tráfico de negros foram destinadas aos colonos e nunca às vítimas: o Haiti teve que pagar um imposto à França de 1825 a 1946 para compensar sua independência e os cultivadores de cana de açúcar receberam fundos para compensar os lucros perdidos após a abolição.

tags: Escravidão - França
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close