Repsol/Argentina - 
Artigo publicado em 17 de Abril de 2012 - Atualizado em 17 de Abril de 2012

Espanha anuncia represálias à estatização da Repsol na Argentina

Antônio Brufau, presidente da Repsol, durante coletiva de imprensa em Madri desta terça-feira.
Antônio Brufau, presidente da Repsol, durante coletiva de imprensa em Madri desta terça-feira.
REUTERS/Sergio Perez

RFI

A reação da Espanha ao anúncio feito pelo governo argentino de estatizar a YPF, filial da Repsol, foi de grande indignação, tanto por parte do mercado, quanto do governo e até mesmo da oposição. O grupo petrolífero espanhol anunciou que vai pedir compensações em instâncias internacionais.

 

Em menos de 24 horas, o anúncio da estatização criou uma espiral de tensão diplomática entre os dois países e tomou todas as atenções da imprensa.

Na noite de segunda-feira o governo espanhol já havia anunciado fortes represálias a Argentina. Já a Repsol prepara uma ação jurídica contra o governo de Cristina Kirchner e vai exigir o pagamento de oito bilhões de euros (18 bilhões de reais).

O presidente da companhia, Antonio Brufau, que falou pela primeira vez sobre o caso nesta manhã, afirmou que Kirchner quer controlar a YPF por causa da recente descoberta de um campo de petróleo pela empresa espanhola em território argentino.

Também nesta manhã o ministro de Indústria, José Manoel Soria, acusou a Argentina de desapropriar a YPF para esconder uma crise social interna e afirmou que o país latino já não é um mercado seguro para empresas europeias.

O mercado já reagiu à notícia. As ações da Repsol caíram 8% logo depois da abertura da bolsa de Madri, que conseguiu abrir em alta de 1,1%. Nesta terça-feira, o Banco Central espanhol faz novo leilão para tentar vender mais títulos da dívida e teme que a crise com a Argentina contagie a operação.

Ataque à parte, o primeiro contato direto entre os dois governos será feito ainda nesta terça-feira através do embaixador argentino na Espanha, que foi convocado para uma audiência no Ministério de Assuntos Exteriores. O premiê Mariano Rajoy, que ainda não fez declarações sobre o caso, viajou nesta terça-feira para o México e a Colômbia, onde tentará angariar apoio contra a Argentina.

Luisa Belchior, correspondente da Rádio França Internacional em Madri.

 

tags: Argentina - Espanha - Petróleo
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close