25 de Junho de 2012
Isolado, governo paraguaio pode sofrer várias sanções
Paraguaios protestam contra o impeachment de Fernando Lugo e a presidência de Federico Franco, neste domingo, em Assunção.
Paraguaios protestam contra o impeachment de Fernando Lugo e a presidência de Federico Franco, neste domingo, em Assunção.
REUTERS/Jorge Adorno
Gabriel Rocha Gaspar

O Paraguai não poderá participar das reuniões preparatórias que começam nesta segunda-feira muito menos da reunião de Cúpula do Mercosul que terá início nesta quinta-feira, em Mendoza. A decisão dos países membros do bloco e dos estados associados coloca nove países em rota de colisão com o novo governo do Paraguai. Os países sul-americanos vêem na destituição de Fernando Lugo um golpe institucional encoberto. A suspensão, no entanto, pode ser apenas a primeira de uma série de sanções que serão discutidas pelos chefes-de-estado que vão se reunir na Argentina. As sansões previstas nas cláusulas democráticas do Mercosul e também da Unasul (União de Nações Sul-Americanas) podem incluir a interrupção do abastecimento de combustível e de energia de um país para o outro, o corte nas comunicações e a ruptura dos compromissos comerciais.

Mais notícias sobre o mesmo assunto
Close