06 de Julho de 2012
Rússia boicota reunião em Paris mas pode se abrir a plano de Annan para Síria
O primeiro-ministro da Rússia, Serge Lavrov, afirma que o povo sírio é que deve escolher o seu líder.
O primeiro-ministro da Rússia, Serge Lavrov, afirma que o povo sírio é que deve escolher o seu líder.
Reuters
Maria Emilia Alencar

A Rússia, além da China, é a grande ausente da reunião dos Amigos da Síria que se realiza neste 6 de julho, em Paris, com a presença de países ocidentais e árabes e organizações internacionais com o objetivo de discutir uma transição política para a crise.

O boicote russo é o tema deste programa em que o correspondente em Moscou, Rinat Valiulim, explica que a Rússia apoia o direito do povo sírio decidir quem será o seu líder mas é radicalmente contra uma intervenção armada. O jornalista analisa que, apesar da ausência russa, há chances das posições se cruzarem num ponto comum que é o plano de Kofi Annan, que propõe uma transição pacifica na Síria através de um governo provisório. 

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, deu a entender que os russos já não teriam o mesmo interesse em manter Bachar al-Assad no poder, depois da reunião anterior dos Amigos da Síria, em Genebra, no fim da semana passada.

Mais notícias sobre o mesmo assunto
Close