Síria/Violência - 
Artigo publicado em 09 de Julho de 2012 - Atualizado em 09 de Julho de 2012

Annan e Assad chegam a novo acordo sobre fim da violência na Síria

Michel Kilo, ativista de oposição sírio, durante coletiva de imprensa após encontro com o ministro russo das Relaões Exteriores, Sergei Lavrov, em Moscou, nesta segunda-feira.
Michel Kilo, ativista de oposição sírio, durante coletiva de imprensa após encontro com o ministro russo das Relaões Exteriores, Sergei Lavrov, em Moscou, nesta segunda-feira.
REUTERS/Sergei Karpukhin

RFI

O emissário internacional Kofi Annan anunciou nesta segunda-feira ter conseguido um acordo com o presidente Bashar al-Assad sobre uma “aproximação” tendo em vista o fim da violência no país. Enquanto isso, o presidente russo Vladimir Putin afirmou que Moscou é partidário de uma solução pacífica na Síria, rejeitando “toda interferência” internacional .

Kofi Annan, que reconheceu recentemente o fiasco de seu plano de saída da crise, não detalhou o conteúdo do acordo, mas precisou que seria submetido aos opositores do regime de Assad.

Antes mesmo da reunião de Annan com o presidente sírio, a oposição criticou a visita do mediador a Damasco, dizendo que seu plano tinha fracassado e pedindo uma ação internacional urgente.

O jornal sírio próximo ao poder, al-Watan, afirmou nesta segunda-feira que Assad e Annan discutiram sobre um meio de aplicar a ideia da transição política sugerida pelo emissário, e aprovada pelo Grupo de ação sobre a Síria em Genebra em junho passado. O plano prevê a formação de um governo de transição que reuniria representantes do poder e da oposição, sem mencionar a saída de Assad.

O presidente russo Vladimir Putin sublinhou hoje novamente, que era por uma solução pacífica na Síria, rejeitando toda “intervenção exterior” no país sem um acordo anterior do Conselho de segurança da ONU.

“Eu estou convencido que devemos fazer todo o possível para obrigar as partes do conflito a chegar a uma solução política pacífica para resolver as diferenças”, declarou Putin. “Claro que é um tarefa mais difícil e delicada” que proceder a “uma ingerência pela força”, acrescentou Putin, que falou para embaixadores russos reunidos na sede do ministério de Relações Exteriores.

Rússia recebe opositor

Algumas horas antes do discurso de Putin, um dos principais dirigentes da oposição na Síria, Michel Kilo, pediu à Rússia que contribuisse para a estabilização da situação em seu país. Ele foi recebido hoje pelo ministro das relações exteriores russo, Serguei Lavrov.

“A Síria se transformou na arena de um conflito internacional. Como representante de forças democráticas, nós consideramos que é do interesse da Rússia conseguir a estabilização da situação”, declarou Kilo em coletiva de imprensa logo após o encontro com Lavrov.

“Nós esperamos que o encontro de hoje seja um passo no caminho da aplicação dos acordos de Genebra”, sobre os princípios de uma transição política na Síria proposta por Kofi Annan, acrescentou Kilo, figura emblemática da luta pela democracia na Síria.

Os membros permantente do Conselho de segurança da ONU, assim como a Turquia e os países que representam a Liga Árabe entraram em acordo sobre os princípios de uma transição democrática na Síria, onde a revolta contra o regime de Bashar al-Assad se transformou em um conflito armado.

O Kurdo Abdel Basset Sayda, novo chefe do Conselho nacional sírio (CNS), principal coalizão de oposição síria no exterior também é esperado na capital russa.

 

tags: Acordo - Amigos da Síria - Bashar al-Assad - Kofi Annan - Rússia - Síria - Violência - Vladimir Putin
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close