Últimas notícias
 
11 de Julho de 2012
Mineiros espanhóis marcham 19 dias para protestar em Madri
Mineiros espanhóis protestam na Porta do Sol, em Madri, nesta quarta-feira.
Mineiros espanhóis protestam na Porta do Sol, em Madri, nesta quarta-feira.
REUTERS/Juan Medina
Leticia Constant

Em protesto contra os cortes das ajudas do governo ao setor do minério de carvão, os mineiros fazem greve na Espanha há mais de um mês, com fortes conflitos com policiais que já deixaram um morto e vários feridos no norte do país. Na madrugada de quarta-feira eles chegaram a Madri, depois de passar 19 dias caminhando, vindos de várias partes da Espanha.

A greve começou há mais de um mês, no norte do país, sobretudo na região de Astúrias, onde o setor do minério é mais forte. Quase diariamente, grevistas fecham estradas na região de Astúrias e fazem barricadas colocando fogo em pneus. Além disso, há um grupo enclausurado dentro de uma mina como forma de protesto há 40 dias.

A correspondente em Madri, Luisa Belchior, explica que os mineiros exigem que o governo volte atrás na decisão de cortar subsídios ao setor. Quando a Espanha entrou para a União Europeia, o bloco exigiu que o país deixasse de produzir em alguns setores, entre eles, o de minério. O governo começou a dar esses subsídios como medida compensatória por eles serem obrigados a deixar de produzir, mas as ajudas têm data para acabar em 2013. Só que este ano, com a crise, o governo já decidiu cortar 63% do subsídio, o que causou a ira dos trabalhadores. Mais de cinco mil mineiros estão ameaçados de ficar sem emprego.

 

Mais notícias sobre o mesmo assunto
Close