Síria/França - 
Artigo publicado em 09 de Agosto de 2012 - Atualizado em 09 de Agosto de 2012

França envia ajuda humanitária para a Síria

Garoto sírio ferido pelas forças de Bashar al-Assad na destruída cidade de Homs, considerada o centro da resistência popular síria.
Garoto sírio ferido pelas forças de Bashar al-Assad na destruída cidade de Homs, considerada o centro da resistência popular síria.
REUTERS/Yazan Homsy

RFI

Um avião A 380 transportando uma equipe formada por 25 médicos e outros profissionais da área da saúde decolou na manhã desta quinta-feira de Paris em direção à fronteira da Jordânia com a Síria. O aparelho fez uma escala em Istres, no sul da França, para embarcar cerca de 20 toneladas de material e equipamento médicos.

O envio dessa missão humanitária foi decidido na segunda-feira pelo presidente da França, François Hollande, para ajudar os combatentes e os refugiados sírios que atravessam a fronteira com a Jordânia. Segundo o médico responsável pela equipe, toda a estrutura que conta com anestesistas, enfermeiros e vários assistentes estará pronta para atuar até o final de semana.

Em comunicado, o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault disse que o envio dessa ajuda médica de urgência faz parte das iniciativas diplomáticas da França, em conjunto com outros países, para por um fim à violência do regime sírio. O premiê conclui sua mensagem dizendo que a França mantém seu compromisso para que "o atual regime criminoso dê lugar a uma Síria democrática, pluralista e que respeito os Direitos Humanos."

Aleppo

O exército sírio continua a sua ofensiva contra os rebeldes de Aleppo, segunda maior cidade síria localizada no norte do país. Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, os bombardeios são intensos, especialmente no sul da cidade. Ontem, em todo país, 167 pessoas morreram, sendo 95 civis, 54 soldados e 18 rebeldes, ainda conforme os cálculos do OSDH.

No final da tarde de hoje, o Irã organiza na capital Teerã uma reunião em “caráter consultivo” para discutir a crise na Síria. Segundo a diplomacia iraniana, 12 países devem participar do encontro, mas os nomes ainda não foram confirmados. Entre os ausentes já se sabe, porém, que o vizinho Líbano, a Liga Árabe e a própria Síria não enviarão representantes.

 

tags: Bashar al-Assad - Bombardeio - Crise política - França - Liga Árabe - ONU - Síria
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close