Últimas notícias
ONU/Síria - 
Artigo publicado em 17 de Agosto de 2012 - Atualizado em 17 de Agosto de 2012

Diplomata argelino é o novo mediador internacional para a Síria

O diplomata argelino Lakhdar Brahimi substituirá o ex-emissário Kofi Annan na resolução da crise na Síria.
O diplomata argelino Lakhdar Brahimi substituirá o ex-emissário Kofi Annan na resolução da crise na Síria.
REUTERS/Mohamed Nureldin Abdallah/Files

RFI

O diplomata argelino Lakhdar Brahimi é o novo enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, substituindo Kofi Annan no posto, que renunciou no início deste mês. A nomeação foi confirmada na noite desta sexta-feira pela Organização das Nações Unidas (ONU). Brahimi tem 78 anos e é ex-ministro das Relações Exteriores da Argélia. Ele já ocupou o cargo de emissário da ONU no Afeganistão, em 2001, e no Iraque, em 2003.

“O secretário-geral da ONU aprecia a vontade de Brahimi de trazer seu talento e sua experiência extraordinários a essa missão crucial e espera um forte apoio, claro e unido da comunidade internacional, especialmente do Conselho de Segurança”, declarou o porta-voz das Nações Unidas, Eduardo del Buey.

A missão de Brahimi, que já tem a reputação de impossível, gera ceticismo em certos diplomatas. Para alguns, ele se submete a um risco indescritível. “Ele é talvez a única pessoa a ter coragem e credibilidade necessárias no Mundo Árabe para prosperar sobre esta questão. Mas ele deve saber que esta é uma situação desesperadora”, disse um diplomata ocidental que não quis ser identificado.

Depois da guerra da Argélia, da qual participou, Brahimi tornou-se embaixador da Argélia no Reino Unido, no Egito, no Sudão e depois da Liga Árabe no Cairo. Ele é célebre por ter fortemente contribuído como emissário da Liga Árabe em 1987 em um acordo que ajudou a finalizar os 17 anos de guerra civil no Líbano.

Depois de ter dirigido a diplomacia argelina de 1991 a 1993, ele torna-se enviado especial da ONU e mediador de muitos conflitos. Ele também dirigiu a missão da Organização na África do Sul durante as eleições de 1994 que levaram o ex-presidente sul africano Nelson Mandela ao poder. E também foi enviado ao Iêmen em plena guerra civil e representou as Nações Unidas no Haiti até 1996.

No final dos anos 90 e começo dos anos 2000, ele passou por diversas nações africanas e depois pelo Afeganistão. Depois do 11 de setembro, ele chegou a trabalhar com Annan, quem vai suceder na missão síria, para participar da reconstrução do país após a partida dos talibãs.

O diplomata argelino faz parte do grupo chamado “Elders” (antigos, em inglês) que reúne personalidades de diferentes países na resolução dos conflitos no mundo, como o próprio Kofi Annan, Jimmy Carter, Desmond Tutu e Martti Ahtisaari.

Demissão

Lakhdar Brahimi substituirá o ex-enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan. Ele anunciou no início deste mês que desistiria do posto que ocupava há seis meses devido ao bloqueio do Conselho de Segurança da Organização sobre seu plano de paz na Síria.

Annan foi nomeado para o posto no dia 23 de fevereiro deste ano com o objetivo de tentar encontrar uma solução diplomática e pacífica para o conflito na Síria. Apesar de obter a assinatura por parte do regime do presidente Bashar al-Assad de um plano de paz que previa um cessar-fogo, as armas jamais foram depostas desde o início das revoltas, há 17 meses.

 

tags: Crise - Diplomacia - Kofi Annan - ONU - Síria
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close