Memória/Lady Di - 
Artigo publicado em 30 de Agosto de 2012 - Atualizado em 30 de Agosto de 2012

Britânicos relembram os 15 anos da morte da princesa Diana

Princesa Diana durante viagem a Itália, em 1995.
Princesa Diana durante viagem a Itália, em 1995.
(Photo : AFP)

RFI

Essa sexta-feira marca os 15 anos da morte de Lady Di. A ex-mulher do príncipe Charles, vítima de um acidente automobilístico quando era perseguida por fotógrafos em Paris, ainda é lembrada pelos britânicos como “a princesa do povo”. Um filme com sua história deve ser lançado no ano que vem.

Mesmo 15 anos após sua morte, a princesa Diana continua sendo lembrada. Até hoje vários turistas visitam a fonte construída em homenagem a Lady Di em Londres ou compram cartões postais com sua fotografia nas lojas de lembranças. O ritual também persiste em Paris, onde flores ainda são deixadas sobre o túnel às margens do rio Sena. Foi nesse local que ela morreu, com seu namorado Dodi al-Fayed, vítimas de um acidente de carro, quando eram perseguidos por fotógrafos.

O emir do Qatar, que comprou a loja de departamentos Harrods de Mohamed al-Fayed, pai de Dodi, também preservou o memorial construído dentro do estabelecimento londrino. O local ganhou ares de altar, com objetos deixados pelos fãs da princesa.

Os especialistas da família real britânica afirmam que Diana ainda mantém sua popularidade no país, mesmo se esse interesse se manifesta muito mais pela atenção dada a seus filhos William e Harry. “Eles parecem com ela. Fazem doações para associações caritativas, são calorosos, vão ao encontro do povo e não são esnobes”, explica Kate Williams, autora de Young Elizabeth, um livro dedicado à juventude da rainha.

Filme deve irritar Buckingham

Um filme sobre a vida de Lady Di também está em andamento e deve estrear em 2013. Intitulada Diana, a produção, que terá a australiana Naomi Watts como protagonista, será dirigida por Oliver Hirschbiegel - o mesmo diretor de A Queda, sobre o fim de Adolf Hitler.

A fita tem tudo para irritar a familía real, já que pretende retratar principalmente os dois últimos anos de vida da princesa. O diretor também quer dar destaque para a relação de Diana com Hasnat Khan, um médico de origem paquistanesa, muçulmano, considerado por muitos como o grande amor de sua vida.

tags: Acidente - Família Real - História - Reino Unido
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close