30 de Agosto de 2012
Depois de Isaac, segurança alimentar e sanitária preocupam Haiti
Haitiana mostra local onde morava desde o terremoto de 2010 até a destruição de sua barraca pela tempestade Isaac.
Haitiana mostra local onde morava desde o terremoto de 2010 até a destruição de sua barraca pela tempestade Isaac.
REUTERS/Swoan Parker
Silvano Mendes

Antes de chegar aos Estados Unidos, o furacão Isaac deixou um rastro de destruição por onde passou, principalmente no Caribe. O Haiti, que ainda tenta se recuperar do terremoto de 2010, quando mais de 250 mil pessoas morreram, foi uma das zonas castigadas. Os ventos e chuvas atingiram principalmente o sul do país, onde destruíram acampamentos dos desabrigados e as plantações da região. As autoridades se preocupam agora com os riscos de uma epidemia de cólera e com a segurança alimentar, como explicam George Anuongong, porta-voz do escritório Escritório da ONU para Assistência Humanitária no Haiti (OCHA), e o tenente-coronel Marcos Santos, porta-voz do componente militar da MINUSTAH, a missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti.

Mais notícias sobre o mesmo assunto
Close