Eleições/EUA - 
Artigo publicado em 31 de Agosto de 2012 - Atualizado em 31 de Agosto de 2012

Romney aceita candidatura republicana e ataca Obama

Mitt Romney, durante o discurso de aceitação de sua candidatura às eleições presidenciais de 6 de novembro. Tampa, 30 de agosto de 2012.
Mitt Romney, durante o discurso de aceitação de sua candidatura às eleições presidenciais de 6 de novembro. Tampa, 30 de agosto de 2012.
Chip Somodevilla/Getty Images/AFP

RFI

O encerramento da Convenção Nacional Republicana rendeu a Mitt Romney uma pequena margem de vantagem sobre o candidato democrata e atual presidente, Barack Obama. Segundo as últimas pesquisas, o republicano tem 44% das intenções de voto, contra 42% para Obama.

Apesar da dianteira, o tom da convenção republicana foi um pouco mais contido do que em 2008, quando a controvérsia em torno da candidata a vice-presidente, Sarah Palin, e o surgimento do movimento ultra-conservador Tea Party dominaram a opinião pública e ajudaram a revitalizar o partido.

Os políticos presentes na convenção em Tampa enfatizaram que este não é um momento para celebração, mas para uma séria discussão sobre o papel do estado no país. A retórica por vezes sombria foi repetida, inclusive, pelo jovial candidato a vice-presidente, Paul Ryan, que focou seu pronunciamento na população idosa da Flórida ao falar do risco de extinção do Medicare, o programa nacional de assistência à saúde, no caso de uma eventual reeleição de Obama.

Convenção Republicana 30-08
 
31/08/2012
 
 

Mas, no último sábado, o presidente se comprometeu a manter inalterado o plano. Foi Ryan, com seu projeto de redução de gastos governamentais, quem levantou a possibilidade cortes severos no Medicare. Sua ideia seria restringir o programa aos maiores de 55 anos e introduzir uma opção de bônus para os mais jovens, que seriam usados para comprar planos privados no futuro. Para Obama, isso faria os beneficiários pagarem US$ 6,4 mil anuais para contar com os mesmos benefícios de que desfrutam atualmente.

O pronunciamento de Ann, mulher de Mitt Romney, foi uma tentativa de humanizar o ex-governador de Massachussetts, falando do romance e das dificuldades já vividas pelo casal. Ann sobreviveu a um câncer de mama e agora luta contra a esclerose múltipla.

O candidato republicano concluiu a convenção dizendo que queria muito que o governo de Obama tivesse sido um sucesso, mas que está na hora de o povo americano aceitar o fato de que nenhuma das promessas do democrata havia sido cumprida. Romney também prometeu criar 12 milhões de empregos até 2020, tornar os Estados Unidos independentes no setor de energia, capacitar a mão de obra e estimular as pequenas empresas, além de cumprir acordos comerciais e cortar o déficit público.

Ligia Hougland, de Tampa para a Radio France Internationale
 

tags: Barack Obama - Eleição - Eleições Americanas 2012 - Estados Unidos - Mitt Romney - Partido Republicano
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close