Últimas notícias
Colômbia/Farc - 
Artigo publicado em 06 de Setembro de 2012 - Atualizado em 07 de Setembro de 2012

Farc anunciam cessar fogo e membros para negociações de paz

Chefe das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Mauricio Jaramillo, durante coletiva de imprensa, nesta quinta-feira, em Havana, Cuba.
Chefe das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Mauricio Jaramillo, durante coletiva de imprensa, nesta quinta-feira, em Havana, Cuba.
REUTERS/Enrique De La Osa

RFI

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) vão propor um cessar fogo bilateral ao governo colombiano. A declaração foi feita nesta quinta-feira pelo chefe da guerrilha, Mauricio Jaramillo, em Havana. Segundo ele, a proposta será feita logo na abertura das negociações de paz previstas para começar em outubro, na Noruega. Dois integrantes da delegação colombiana foram anunciados hoje.

“Nós vamos propor o cessar fogo logo que estivermos sentados na mesa de negociações a partir de 8 de outubro”, declarou Jaramillo, em coletiva de imprensa realizada na capital cubana. No entanto, as autoridades colombianas ainda não confirmaram a data do evento que deve acontecer durante cerca de 15 dias em Oslo. As discussões começarão na Noruega e devem continuar em Cuba.

O líder da rebelião marxista anunciou dois emissários de paz para a sua delegação: Ivan Marquez, José Santriz. Ele também pediu a inclusão de Simon Trinidad, um alto integrante da guerrilha que foi preso em 2004 no Equador e extraditado aos Estados Unidos, onde cumpre uma pena de 60 anos de detenção desde 2008 pelo sequestro de três civis americanos.

Jaramillo ressaltou que este tipo de ação não é mais uma prática das Farc e desmentiu que a organização esteja envolvida com o tráfico de drogas. “Não há nenhum refém nas mãos das Farc. Nós já dissemos: não haverá sequestros e não há reféns”, ratificou.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos alertou na noite desta quinta-feira que a organização insurgente deve ser realista ao escolher sua delegação, após o anúncio de Trinidad  como um dos representantes da guerrilha na Noruega. “Nós não temos nenhum veto para os emissários designados pelas Farc. Mas há os que poderão estar lá e outros que não poderão”, reagiu, em uma entrevista concedida a uma rádio do país. Ele reiterou que a presença de Trinidad não depende do governo colombiano.

Bogotá apresentou ontem sua equipe para as negociações, composta por cinco integrantes e dirigida pelo ex-vice-presidente Humberto de la Calle. A delegação  também conta com o ex-diretor da polícia nacional, Oscar Naranjo, o ex-comandante das forças militares, Jorge Enrique Mora Rangel, o atual conselheiro para a segurança, Sergio Jaramillo, o ex-ministro do Meio Ambiente, Frank Pearl, e o presidente da associação nacional dos industriais, Luis Carlos Villegas.

Os diálogos que acontecerão em outubro são a quarta tentativa de negociações do governo colombiano com as Farc em 30 anos. A principal guerrilha da Colômbia conta com 9 mil e 200 membros depois de 48 anos de existência, de acordo com as autoridades do país.

 

tags: Colômbia - Diálogo - Farc - Guerrilha - Negociações de paz
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close