Últimas notícias
Imprensa - 
Artigo publicado em 18 de Setembro de 2012 - Atualizado em 18 de Setembro de 2012

Aumento da recompensa pela cabeça do escritor Salman Rushdie ilustra o retorno do ódio, diz Libération

Capa do jornal francês Libération desta terça-feira, 18
Capa do jornal francês Libération desta terça-feira, 18
liberation.fr

Adriana Moysés

O jornal progressista Libération denuncia em sua manchete a ação da fundação religiosa iraniana (15 Khordad) que aproveitou a onda de manifestações contra o filme "A inocência dos muçulmanos" para aumentar a recompensa pela cabeça do escritor Salman Rushdie, autor de "Os versos satânicos", também considerado ofensivo ao Islã. "O regime dos molás está oferecendo US$ 3,3 milhões para quem matar o escritor, US$ 500 mil a mais do que no ajuste anterior, feito em 1998", relata o Libération, considerando a manobra de um oportunismo odioso.

O primeiro decreto religioso incitando o assassinato do escritor britânico de origem indiana foi publicado em 1989. Mas por um tempo, após um longo período de batalha diplomática entre o Reino Unido, onde ele vive, e o Irã, os ânimos se acalmaram. "Retomando o decreto contra Rushdie, o Irã quer transmitir a imagem de que o livro 'Os versos satânicos' está na origem da conspiração blasfematória do mundo ocidental, na qual o filme 'A inocência dos muçulmanos' é o mais recente avatar", escreve o Libération.

Em seu editorial, o jornal francês diz que o mundo árabe vive há quase dois anos uma transformação histórica importante e deveria demonstrar uma reação menos exaltada do que ampliar o fanatismo. Os novos líderes originários da Primavera Árabe deveriam se dissociar claramente dos extremistas, recomenda o Libé.

Governo Hollande reforça cobrança de impostos

Les Echos e Le Figaro destacam em suas manchetes temas de economia. Em plena crise na França, os acionistas de empresas cotadas na bolsa de valores de Paris verão seus dividendos aumentar de 5% no ano que vem, segundo Les Echos. Se os lucros financeiros das empresas parecem escandalosos em tempos de crise, essa é uma boa notícia para o Estado francês que pretende cobrar um imposto de 3% sobre os dividendos.

Le Figaro informa que o governo estuda diminuir as vantagens fiscais e sociais dos aposentados. As restituições e isenções concedidas aos aposentados representariam um custo de 12 bilhões de euros por ano aos cofres públicos. Le Figaro reproduz o argumento do ministro do Trabalho, Michel Sapin, que afirma que entre os 16 milhões de aposentados franceses, alguns ganham muito mais do que as pessoas em atividade.
 

tags: Imprensa - Islamismo Radical - Religião - Vídeo
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close