12 de Outubro de 2012
Conflito com Japão leva China a boicotar reunião do FMI em Tóquio
O governador adjunto do Banco do Povo da China é um dos raros representates chineses na reunião do FMI e do Banco Mundial em Tóquio.
O governador adjunto do Banco do Povo da China é um dos raros representates chineses na reunião do FMI e do Banco Mundial em Tóquio.
REUTERS
Maria Emilia Alencar

A China confirmou nesta sexta-feira sua decisão de cancelar a participação de seus principais líderes financeiros na reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial que acontece em Tóquio. A disputa com o Japão por um arquipélago no mar do Leste da China foi o motivo oficial para o boicote chinês.

A chefe do FMI, Christine Lagarde, disse que o país só perde com essa atitude. A participação chinesa no encontro era muito esperada, já que o país é considerado fundamental para a recuperação da economia mundial. O conflito entre China e Japão, respectivamente a segunda e a terceira maiores economias mundiais, já tem provocado consequências desastrosas nas relações bilaterais e preocupa observatores de todo o mundo.

Neste programa, nossa correspondente em Pequim, Janaína Silveira, explica que dentro da China comenta-se que os bancos do país estão satisfeitos com esse boicote, já que ainda não se sabe nada a respeito das políticas econômicas que serão adotadas pelo próximo governo, que assume somente em março.

Mais notícias sobre o mesmo assunto
Close