Últimas notícias
Líbia/ eleições - 
Artigo publicado em 08 de Julho de 2012 - Atualizado em 08 de Julho de 2012

Observadores apontam vitória de liberais nas eleições líbias

Mulheres começam contagem de votos em Trípoli.
Mulheres começam contagem de votos em Trípoli.
REUTERS/Anis Mili

RFI

Observadores da coalizão de liberais, mas também os opositores islâmicos, anunciaram neste domingo que os liberais estão frente na maioria das zonas eleitorais na Líbia, após a realização de eleições históricas no país para a aleieção dos membros da futura Assembleia Nacional, neste sábado. A comunidade internacional saudou o pleito, que contou com a participação de 60% dos eleitores cadastrados.

 

Mohamed Sawan, chefe do Partido da Justiça e da Construção, derivado da Irmandade Muçulmana, reconheceu um “claro avanço” da Aliança das Forças Nacionais (AFN), que reúne mais de 40 pequenos partidos regrupando os líderes da revolução que, em 2011, depôs o ditador Muammar Kadafi, após 42 anos de regime opressivo. A vantagem dos liberais foi observada na capital, Trípoli, e em Benghazi, berço das revoltas populares.

 

“De acordo com as primeiras informações reunidas, a coalizão está na frente na maioria das seções eleitorais”, declarou Faiçal al-Krekchi, secretário-geral da AFN.

A contagem dos votos se iniciou ontem à noite e estava em curso neste domingo. Al-Krekchi preferiu esperar a divulgação dos resultados oficiais, fornecidos pela Comissão Eleitoral, antes de comemorar. As conclusões dos dois partidos são baseadas em “relatórios preliminares” de seus observadores que acompanham a apuração das cédulas, nesta primeira eleição livre no país para a formação de uma Assembleia Nacional.

Se estes indícios se confirmarem, a Líbia será a exceção entre os países onde houve a “Primavera Árabe”, como a Tunísia e o Egito, onde islamistas tomaram o poder após a queda dos antigos regimes e a realização de eleições. No total, 80 cadeiras do futuro “Congresso Nacional Geral” líbio estão reservadas para os candidatos de listas de partidos políticos, de um total de 200 membros. Os demais 120 eleitos são candidatos individuais, apoiados pelos partidos.

A votação foi acompanhada de perto por observadores internacionais da ONU e de ONGs, que confirmam a tendência pela vitoria dos liberais. Em alguns colégios eleitorais, a participação ultrapassou os 90%, como no bairro de Abu Salim, na capital. A média nacional foi 60% de participação no pleito, conforme dados oficiais, de um total de 2,8 milhões de eleitores cadastrados. Os primeiros resultados oficiais devem sair entre amanhã à noite e terça-feira.

Protestos no leste

Apesar de atos de violência e de sabotagem de militantes autônomos no leste do país, o clima da votação era de festa. “Qualquer que seja o resultado, é o povo líbio que sai vitorioso”, comemorou o chefe da Comissão Eleitoral, Nouri al-Abbar, ao anunciar o “sucesso” das eleições apesar de um dia de “gestão de crises” no leste, onde cerca de 100 locais de votação não puderam ser abertos devido à insegurança. Os opositores ao pleito estavam descontentes com a repartição das cadeiras parlamentares: 100 para o oeste, 60 para o leste e 40 para o sul.

Na comunidade internacional, as felicitações pelo pleito vieram de todos os lados. A União Europeia saudou as eleições “verdadeiramente históricas” e sublinhou que elas ocorreram “em um clima de liberdade”. Londres ressaltou que o momento marca “uma etapa importante” e um momento “histórico” para o país em busca de liberdade. O presidente americano, Barack Obama, parabenizou os líbios por “outra etapa importante de sua extraordinária transição à democracia”.

 

tags: Eleição - Líbia - Muammar Kadafi - Revolução
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close