Últimas notícias
Siria/Violência - 
Artigo publicado em 13 de Julho de 2012 - Atualizado em 13 de Julho de 2012

Presidentes do Egito e da Tunísia expressam apoio ao povo sírio

Morsi em pronunciamento após ser eleito presidente do Egito
Morsi em pronunciamento após ser eleito presidente do Egito
REUTERS/TV egípcia

RFI

Os presidentes recém-eleitos da Tunísia e do Egito afirmaram nesta sexta-feira o apoio de ambos os países ao povo sírio, contra o regime de Bachar al-Assad. Apesar da declaração, os dois líderes rejeitam a idéia de uma intervenção militar estrangeira na Síria. As declarações foram feitas durante uma reunião realizada no Cairo.

O islamista Mohamed Morsi, eleito no mês de junho para a presidência do Egito e seu colega tunisiano Moncef Marzouki expressaram também apoio aos palestinos e pediram uma reconciliação dos movimentos rivais Fatah e Ramas. Os dois presidentes se reuniram nesta terça no Cairo e, mesmo apoiando os sírios que se rebelam contra o regime de Bachar al-Assad, advertiram que uma intervenção militar estrangeira agravaria ainda mais a situação.

Nesta quinta-feira, mais de 150 pessoas foram mortas no ataque ao vilarejo de Treimsa, na provícia de Hama, na Síria. O ataque teria sido planejado pelas forças armadas do governo, utilizando tanques e helicópteros, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Mais de 17 mil pessoas teriam morrido desde o início da crise na Síria, em fevereiro de 2011.

Quanto à Palestina, Mohamed Morsi afirmou "estar à mesma distância" das duas facções inimigas que controlam a Cisjordânia (Fatah) e Gaza ( Hamas). O Hamas possui ligações históricas com a Irmandade Muçulmana, partido do presidente egípcio. Entretanto, Mohamed Morsi ainda não indicou se seu governo será menos rígido nos controles de fronteira entre o Egito e a faixa de Gaza, região sob bloqueio israelense desde 2007 e único ponto de passagem entre o território palestino e o mundo exterior que não é controlado por Israel. Durante sua campanha eleitoral, Morsi alegou que os palestinos teriam direito à resistência e que os refugiados palestinos poderiam retornas aos territórios tomados desde 1948.

Desde a sua eleição, Mohamed Morsi adotou um discurso moderado sobre o conflito entre israelenses e palestinos. Ele diz que respeitará o tratado de paz assinado entre o Egito e Israel em 1979.

tags: Amigos da Síria - Kofi Annan - Massacre - Síria - Violência
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close