Síria/conflito - 
Artigo publicado em 28 de Julho de 2012 - Atualizado em 28 de Julho de 2012

Regime sírio lança ofensiva armada contra rebeldes em Aleppo

População protesta contra o regime de Bashar Al-Assad em Maraa, próximo a Aleppo, na última sexta-feira, dia 27 de julho.
População protesta contra o regime de Bashar Al-Assad em Maraa, próximo a Aleppo, na última sexta-feira, dia 27 de julho.
REUTERS/Shaam News

RFI

As forças do governo do presidente sírio Bashar Al-Assad iniciaram, neste sábado, os combates contra os rebeldes em Aleppo, que é a segunda maior cidade e o centro econômico do país. Ao menos dez soldados e três rebeldes foram mortos, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Em todo o país, o conflito fez outras 31 vítimas: 14 civis, 13 rebeldes e quatro soldados.

Os reforços do regime se concentram há vários dias na região de Aleppo e fizeram hoje um dos combates mais violentos desde o início da revolta, há 16 meses, disse o presidente do OSHD, Rami Abdel Rahmane. Ele informou também que o bairro de Salaheddine, que está sendo constantemente alvo de bombardeios, é o que abriga o maior número de insurgentes. "Podemos dizer que a ofensiva começou", afirmou Rahmane.

Salaheddine está cercado pelas forças de Al-Assad e amanheceu sob bombardeios. Cerca de 100 tanques estão nesta região do sudoeste de Aleppo e combates acontecem na entrada do bairro, enquanto helicópteros sobrevoam e bombardeiam outros locais da cidade.

Ontem, o regime sírio atacou outros bairros dominados por rebeldes em Aleppo. As forças do governo usaram helicópteros equipados com metralhadoras e dispararam contra os rebeldes. Estes, por sua vez, se refugiam em ruelas estreitas, o que torna as batalhas ainda mais difíceis.

Enquanto a cidade é palco de confrontos entre insurgentes e soldados de Al-Assad, a população tenta fugir do local. Os que não conseguem deixar a cidade, refugiam-se no subsolo de residências.

Os conflito sírio migrou para Aleppo há mais de uma semana, quando os militares do governo reconquistaram o controle da capital Damasco. O domínio da segunda maior cidade síria é uma questão estratégica para ambos os lados.

Reações

Vários países ocidentais expressaram, neste sábado, sua preocupação sobre a situação em Aleppo. Washington evocou a possibilidade de “um massacre”. Os Estados Unidos classificaram a ofensiva de Aleppo como "uma agressão repreensível contra uma concentração de população civil".

Já a França também condenou a ação do governo sírio. "Bashar se prepara para cometer novos assassinatos contra seu povo", acusou.

A Rússia advertiu que uma “tragédia” ameaçava a cidade. No entanto, o chanceler Serguei Lavrov apoiou a ação do governo sírio, dizendo que não é possível “ficar de braços cruzados” enquanto os rebeldes invandem as grandes cidades do país. “Temos certeza de que é o governo quem deve dar o primeiro passo”, analisou.

 

tags: Bashar al-Assad - Conflito - Rebelião - Síria
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close