China/Presidência - 
Artigo publicado em 13 de Setembro de 2012 - Atualizado em 13 de Setembro de 2012

Provável novo presidente chinês não aparece em público há um mês

Xi Jinping atual vice-presidente é apontado como provável novo presidente da China
Xi Jinping atual vice-presidente é apontado como provável novo presidente da China
REUTERS/How Hwee Young/Pool/Files

RFI

Misterioso sumiço do suposto novo presidente da China às vésperas do congresso do PC chinês em outubro. Xi Jinping, que é “o homem” indicado para substituir Hu Jintao não aparece em público há quase um mês. Este pode ser mais um escândalo nas altas esferas do poder na China.

Com a colaboração de Janaína Silveira, correspondente da RFI em Pequim.

O desaparecimento do político chinês Xi Jinping desde 1º de setembro é a mais nova dor de cabeça para a liderança em Pequim neste ano. Ele é apontado como o futuro presidente do país, nome que deve ser indicado no Congresso Nacional do Partido Comunista da China, previsto para ocorrer em outubro.

Líder à frente das decisões políticas, seu desaparecimento implica até mesmo uma demora anormal para a divulgação da data do Congresso, que ocorre a cada cinco anos. Nas duas últimas edições, a divulgação já havia ocorrido em agosto.

A mídia oficial chinesa não dá qualquer informação sobre o caso de Xi. Rumores indicam que ele estaria doente, mas sem gravidade. A hipótese mais comentada é de que ele teria sofrido um estiramento muscular nas costas ao praticar natação. Na noite de quarta-feira, ele foi citado na imprensa chinesa pela primeira vez desde desaparecer, mas apenas em uma nota de pesar pela morte de um líder comunista.

O afastamento de Xi começou a ficar evidente depois que ele desmarcou um encontro oficial com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, na última semana. O mesmo ocorreu em relação ao primeiro-ministro de Cingapura e, nesta semana, com o primeiro-ministro dinamarquês.

Este é o terceiro percalço envolvendo políticos chineses neste ano, quando tudo o que Pequim queria era uma transição tranquila - a primeira em uma década. Em março, o ex-todo poderoso de Chongqing Bo Xilai, caiu de seu posto e até hoje está incomunicável, e seu destino dentro do partido é incerto. Ele pode inclusive enfrentar acusações criminais.

No final de agosto, um dos principais aliados do presidente Hu Jintao, Ling Jihua, deu adeus às aspirações de chegar ao topo do poder depois de ver o nome do filho, Ling Gu, envolvido em um acidente com uma Ferrari, em março deste ano. Ling Gu morreu. Ele estava acompanhado de duas chinesas, todos sem roupa. O estilo de vida e mesmo a dúvida em relação a como ele teria uma Ferrari são apontados como motivos para que o partido tenha encoberto até agora a identidade da vítima envolvida no acidente.
 

tags: China - Escândalo - Hu Jintao - Partido Comunista Chinês - Presidência
Mais notícias sobre o mesmo assunto
Comentários
Comente este artigo
O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
To prevent automated spam submissions leave this field empty.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para diferenciação entre computadores e humanos contra os ataques de spams. Automated spam submissions.
Close