Conteúdo sindicado
Eleição presidencial
François Hollande e Angela Merkel a bordo do «MS Nordwind», no mar Báltico, 9/5/14.
10/05/2014 - França e Alemanha/Ucrânia

Para França e Alemanha, referendos do leste da Ucrânia são ilegais

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, alertam Kiev e Moscou sobre a importância da eleição presidencial de 25 de maio na Ucrânia. Em um comunicado divulgado neste sábado (10), em Stralsund, na Alemanha, os dois líderes também consideram os referendos de domingo para a independência de algumas cidades no leste da Ucrânia como “ilegais”.

Ativistas pró-Rússia na sede do governo regional de Luhansk, no sudeste da Ucrânia,
06/05/2014 - Ucrânia/Rússia

Ucrânia pede ajuda internacional para organizar eleições presidenciais

A Ucrânia pediu nesta terça-feira (6) que a comunidade internacional ajude na organização da eleição presidencial prevista para o próximo dia 25 de maio. Com a escalada da violência, as autoridades ucranianas temem não ter condições de organizar um pleito “livre e democrático”. Contrário ao governo interino, que assumiu após a queda do presidente Viktor Yanukovitch, a Rússia afirma que a realização da eleição é “absurda”.

O ministro interino de Relações Exteriores da Ucrânia, Andrii Deshchitsia,(esquerda) foi recebido em Viena pelo ministro das Relações Exteriores da Áustria, Sebastian Kurz.
06/05/2014 - Ucrânia/Crise

Europeus tentam evitar guerra civil na Ucrânia

Os combates continuam intensos no leste da Ucrânia e o risco de uma guerra civil no país parece cada vez mais próximo, preocupando os europeus. Balanço divulgado nesta terça-feira (6) indica que mais de 30 pessoas morreram no país ontem. A crise ucraniana foi discutida nesta manhã em Viena em reunião do comitê ministerial do Conselho da Europa.

Cidade síria de Homs, destruída pelos confrontos e bombardeios.
04/05/2014 - Síria/Conflitos

Acordo vai permitir a retirada de insurgentes sitiados em Homs

O regime sírio e os rebeldes chegaram neste domingo (4) a um acordo para a retirada de insurgentes sitiados há dois anos no centro de Homs em ruínas. A informação foi confirmada por um negociador rebelde à agencia de notícias francesa, AFP. Já no norte do país, os confrontos entre grupos rebeldes rivais continuam, apesar do pedido de trégua feito pelo chefe da rede Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri.

Palácio da Presidência da Guiné-Bissau.
30/04/2014 - Guiné-Bissau

Os candidatos às presidenciais da Guiné-Bissau prometem aceitar os resultados

Os dois candidatos apurados para a segunda volta das presidenciais da Guiné-Bissau, José Mário Vaz do PAIGC e o candidato independente Nuno Nabian apoiado pelo PRS, prometeram aceitar qualquer resultado que venha a sair do escrutínio previsto para o próximo dia 18 de Maio.

Cartazes da candidatura do presidente Bashar al-Assad nas ruas de Damasco. A família Assad governa o país há mais de 40 anos
29/04/2014 - Síria/ guerra

Ataque a escola de Damasco mata ao menos 14 pessoas

Foguetes lançados hoje da periferia de Damasco em direção ao centro da capital síria atingiram uma escola muçulmana frequentada por crianças e adolescentes, sírios e estrangeiros. O ataque deixou pelo menos 14 mortos e mais de 80 feridos, segundo a agência estatal Sana.

Palácio Presidencial, Bissau
27/04/2014 - Guiné-Bissau

PRS apoia Nabian na segunda volta das presidenciais

O PRS anunciou que vai apoiar Nuno Nabian na segunda volta das eleições presidenciais.
O diário econômico Les Echos publica reportagem sobre o ano eleitoral no Brasil. 22 de abril de 2014.
22/04/2014 - Imprensa

Investidores apostam na derrota de Dilma nas eleições, afirma Les Echos

O diário econômico Les Echos publica nesta terça-feira (22) uma extensa reportagem sobre o ano eleitoral movimentado nos países emergentes. Brasil, Turquia, Indonésia e Índia têm eleições em 2014 que podem levar a alternâncias no poder. O jornal francês sublinha que os emergentes atravessam um momento de instabilidade econômica e mudar de política, na atual conjuntura de déficits, é vital para reduzir os desequilíbrios e criar novas fontes de crescimento.

Eleições "democráticas" mascaram hipocrisia autoritária
22/04/2014 - O Mundo Agora

Eleições "democráticas" mascaram hipocrisia autoritária

O cinismo do anúncio oficial das próximas eleições presidenciais na Síria é um escárnio a qualquer processo político minimamente democrático. É absolutamente impossível organizar um pleito com algum ar de respeitabilidade num país completamente destruído pelos bombardeios contínuos do próprio governo e uma guerra civil bárbara em andamento, com 200.000 mortos e mais de dois milhões de refugiados.

Parlamento sírio reunido em sessão solene nesta segunda-feira (21).
21/04/2014 - Síria/Conflito

Ocidentais criticam organização de eleições na Síria

O resultado da eleição marcada para o dia 3 de junho "não terá nenhum valor ou credibilidade", avaliou o governo britânico, enquanto Washington denunciou uma "paródia de democracia". A ONU estima que o pleito vai prejudicar os esforços em prol de uma solução política para o conflito no país, que já fez mais de 150 mil mortos em três anos. A oposição síria qualificou essa eleição de "farsa".

Close