Conteúdo sindicado
Renamo
Afonso Dhlakama, líder da Renamo, em conferência de imprensa no seu refúgio na Serra Gorogonsa.
29/08/2014 - Moçambique

Campanha eleitoral moçambicana arranca domingo sem Dhlakama

O arranque da campanha para as eleições gerais moçambicanas de 15 de Outubro está marcado para o próximo domingo. A Renamo, principal partido da oposição, enceta a campanha sem a presença física do seu líder, Afonso Dhlakama.

28/08/2014 - Moçambique

Fim das escoltas militares no troço Muxúngue-Save, no centro de Moçambique

Desde ontem, as autoridades desmobilizaram as escoltas obrigatórias no troço Muxúngue-Save na principal estrada do país, a Estrada Nacional número 1, na sequência do estabelecimento do cessar-fogo entre a Renamo e o governo da Frelimo no Domingo passado.

Armando Guebuza, Presidente da Repúbica de Moçambique e Afonso Dhlakama, líder da Renamo
25/08/2014 - Moçambique

Assinatura do cessar-fogo entre a Renamo e o governo de Moçambique

Em Moçambique, o governo da Frelimo, partido no poder, e a Renamo, principal partido na oposição, assinaram este domingo à noite um acordo de cessar-fogo ao cabo de mais de 70 rondas de negociações durante mais de um ano pautado por braços de ferro políticos e confrontos militares.

Armando Guebuza, Presidente de Moçambique
22/08/2014 - Moçambique:

Moçambique: último estado da Nação do Presidente

O presidente Armando Guebuza apresentou esta sexta-feira (22/08) no parlamento o seu último informe sobre o estado geral da Nação e o balanço de dez anos dos seus dois mandatos, tendo afirmado que cumpriu a sua missão na luta contra a pobreza, corrupção e construção de infraestruturas sociais e económicas.

Os membros da Renamo foram libertados após publicação da Lei da Amnistia
21/08/2014 - Moçambique

Lei da Amnistia esquece vítimas do conflito em Moçambique

Vinte e três membros da Renamo, detidos na província de Inhambane, foram libertados esta quinta-feira. A libertação decorre da publicação no Boletim da República da Lei da Amnistia. Um documento que segundo a CNDH esquece as vítimas civis do conflito político-militar entre Governo e Renamo.

19/08/2014 - MOÇAMBIQUE

Moçambique: porta-voz da Renamo já em liberdade

António Muchanga, membro sénior da Renamo, maior partido da oposição moçambicana, foi hoje solto da Cadeia de máxima segurança da Machava, encontrando-se em sua casa e bem de saúde. Alice Mabota, a sua advogada, alegou à RFI pretender conversar com o líder da Renamo acerca da situação dos demais presos do movimento da perdiz que deveriam ser soltos no âmbito da entrada em vigor da nova lei da amnistia.

Armando Guebuza, Presidente da Repúbica de Moçambique e Afonso Dhlakama, líder da Renamo
18/08/2014 - Moçambique

Moçambique : negociações atrasam cessação das hostilidades

O Governo moçambicano e o principal partido da oposição, a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), reuniram-se esta segunda-feira na 72ª ronda das negociações políticas. As negociações com vista à cessação das hostilidades moçambicanas voltaram a falhar.

Afonso Dhlakama, líder da Renamo.
17/08/2014 - MOÇAMBIQUE

Moçambique: Dhlakama satisfeito com Lei da Amnistia

Afonso Dhlakama afirma que a Frelimo é o partido mais beneficiado pela aprovação e promulgação da Lei da Amnistia. Palavras do líder da Renamo, o maior partido da oposição, ao canal moçambicano STV.

Elementos armados da Renamo
13/08/2014 - MOÇAMBIQUE

Assinatura de protocolo de paz para Moçambique ainda sem data

A 70a ronda negocial entre o governo moçambicano e a Renamo, maior força da oposição, não permitiu definir uma data para a assinatura do memorando de entendimento alcançado na semana passada ao fim de 19 meses de negociações. A cessação das hostilidades ainda não foi proclamada e ter-se-ia mesmo registado um ataque na província central de Tete nesta madrugada.

Afonso Dhlakama, líder da Renamo, em 2013 na Gorongosa (centro): ainda não é adquirido que ele esteja amanhã em Maputo
11/08/2014 - MOÇAMBIQUE

Moçambique: acordo esta terça Governo/Renamo ?

O governo moçambicano alega que o chefe de Estado, Armando Guebuza, está disponível para assinar nesta terça-feira o acordo obtido na semana passada com a Renamo. A principal força da oposição que se demonstrou prudente quanto à assinatura do protocolo em causa neste prazo. Em causa está a obtenção da cessação das hostilidades em Moçambique.

Close