Conteúdo sindicado
Renamo
Afonso Dhlakama, líder da Renamo
25/11/2014 - Moçambique

Dhlakama em digressão por Moçambique para explicar a sua posição

Afonso Dhlakama, líder da Renamo, principal partido de oposição, iniciou hoje uma digressão de cinco dias nas províncias de Sofala, Manica e Tete, para explicar à população a exigência de um governo de gestão face à alegada fraude eleitoral.

O candidato à presidência, Afonso Dhlakama do partido RENAMO, votando em Maputo. 15/10/14
24/11/2014 - MOÇAMBIQUE

Governo moçambicano e Renamo de costas voltadas

O governo moçambicano rejeitou a ideia da partilha de cargos da polícia e do exército, esta era uma exigência da Renamo. O maior partido da oposição que hoje anunciou o início esta terça-feira de um périplo pelo país do seu líder. Afonso Dhlakama pretenderia explicar à população a sua recusa em reconhecer os resultados das eleições gerais de 15 de Outubro, ganhas pela Frelimo, partido no poder.

O governo moçambicano expressa-se sobre os subsídios alegadamente pagos à Renamo
19/11/2014 - Convidado

O governo moçambicano expressa-se sobre os subsídios alegadamente pagos à Renamo

Continua acesa a controvérsia que estalou em Moçambique nos últimos dias, com o governo a afirmar ter pago subsídios de 90 mil Meticais à delegação da Renamo para participar nas negociações de paz, afirmações desmentidas pelo principal partido de oposição que desafia o executivo a apresentar provas.
Ao confirmar a existência de actas comprovando os referidos pagamentos, o ministro moçambicano dos transportes, Gabriel Muthisse, que participa no diálogo com a Renamo, refere que embora não seja habitual, se for necessário, o governo tornará estas actas públicas.

O Presidente Armando Guebuza e o líder da Renamo Afonso Dhlakama aquando da ratificação do acordo de cessação das hostilidades a 5 de Setembro de 2014
18/11/2014 - Moçambique

Fundo de paz aprovado em conselho de ministros em Moçambique

O conselho de ministros aprovou hoje o Fundo de Paz e Reconciliação Nacional prometido pelo executivo aquando da assinatura do Acordo de Cessação das hostilidades no passado mês de Setembro.

Governo de Moçambique afirma ter pago subsídios à Renamo no quadro das conversações de paz
18/11/2014 - Convidado

Governo de Moçambique afirma ter pago subsídios à Renamo no quadro das conversações de paz

A imprensa moçambicana noticiou que o governo afirma ter pago subsídios de 90 mil Meticais por mês à delegação da Renamo pela sua participação no diálogo com vista à paz, uma remuneração que ainda segundo o governo teria sido imposta pela Renamo logo após a assinatura do Acordo de Cessação das hostilidades no passado mês de Setembro.
Meque Braz, membro sénior da Renamo que participou até Março nas negociações do seu partido com o governo, nega tudo em bloco.

04/11/2014 - MOÇAMBIQUE

CNE de Moçambique rejeitou recurso da Renamo

A Comissão nacional de eleições de Moçambique chumbou o recurso da Renamo, maior partido da oposição, pedindo a anulação das eleições gerais de 15 de Outubro ganhas pela Frelimo, partido no poder, com maioria absoluta. Por sua vez o MDM, terceira maior força do país, apresentou ontem no Conselho constitucional um pedido de anulação do escrutínio.

Combatentes da Renamo, em Novembro de 2012, na Gorongosa, no centro de Moçambique
03/11/2014 - MOÇAMBIQUE

Moçambique: desarmamento da Renamo não avança

O desarmamento da antiga guerrilha moçambicana voltou a traduzir-se num impasse ao nível das negociações entre a Renamo e o governo de Maputo. O executivo pede ao movimento da perdiz a lista dos seus membros susceptíveis de serem integrados na polícia e no exército enquanto o maior partido da oposição solicita a criação e aprovação de um modelo de integração dos seus homens.

30/10/2014 - Moçambique

Oposição contesta resultados em Moçambique

A Comissão Nacional de Eleições de Moçambique publicou hoje os resultados preliminares definitivos nas eleições de 15 de Outubro nas cerca de 17 mil mesas de voto em todo o país que avançam que a Frelimo obteve maioria absoluta de 55,97% no parlamento e o candidato, Filipe Nyusi, venceu as eleições presidenciais com 57,03%. A Renamo e o MDM já vieram dizer que não reconhecem os resultados

Filipe Nyusi, candidato vitorioso das eleições moçambicanas
30/10/2014 - Moçambique

Moçambique: Nyusi promete trabalhar pela paz e estabilidade

 A Comissão nacional de eleições de Moçambique proclamou nesta quinta-feira a vitória do candidato da Frelimo, Filipe Nyusi, com 57% dos votos nas eleições gerais de 15 de Outubro. Este, no seu discurso de vitória, minimizou a contestação ao escrutínio e enalteceu a necessidade de preservar a paz por forma a desenvolver o país.

Moçambique: Filipe Niusy e a Frelimo com maioria absoluta
30/10/2014 - Convidado

Moçambique: Filipe Niusy e a Frelimo com maioria absoluta

Filipe Niusy e o partido Frelimo no poder venceram as eleições presidenciais de 15 de Outubro com respectivamente 57,03% e 55,97% de votos, resultados contestados pelos dois principais partidos de oposição Renamo e MDM, que vão impugnar os escrutínios.

Para comentar esta vitória mais do que previsível, ouvimos os investigadores Calton Cadeado, do Instituto Superior de Relações Internacionais de Maputo e Baltazar Fael, do  Centro de Integridade Pública (CIP) organismo que supervisionou todo este processo eleitoral.

Close