Conteúdo sindicado
Renamo
Eleições intercalares no dia 17 de dezembro no município de Cuamba, norte de Moçambique
14/12/2014 - Moçambique

Eleições intercalares num município do norte moçambicano

Terminou este domingo, 14 de dezembro, a campanha eleitoral, para eleições intercalares, no município de Cuamba, na parte do norte de Moçambique.

Líder da Renamo, maior partido da oposição, Afonso Dhlakama
03/12/2014 - Moçambique

Moçambique aprova estatuto especial do líder da oposição

Foi provado o estatuto especial do líder do segundo partido com assento parlamentar após longas discussões acesas que marcaram a sessão extraordinária da quinta legislatura no Parlamento moçambicano.

01/12/2014 - MOÇAMBIQUE

Impasse em nova ronda negocial em Moçambique

A 87a ronda negocial entre o governo moçambicano e a Renamo, maior força da oposição, traduziu-se num impasse em torno da integração de elementos do movimento da perdiz nas forças de defesa e segurança. E isto numa altura em que Afonso Dhlakama, não obstante insistir na viabilização de um governo de gestão, em deslocação em Tete, promete respeitar a constituição.

Moçambique: "Renamo não inspira muita confiança" para governo de gestão
28/11/2014 - Convidado

Moçambique: "Renamo não inspira muita confiança" para governo de gestão

A presidência da República de Moçambique recusa o "governo de gestão" exigido pelo líder da Renamo, Afonso Dhlakama. O analista Elísio Macamo considera ser  "legítimo que o partido que venceu as eleições gerais rejeite um governo de unidade nacional" e não crê que "as exigências e a história recente da Renamo inspire muita confiança" para a formação de um executivo de união.

Afonso Dhlakama, líder da Renamo, votando em Maputo no passado 15 de Outubro
27/11/2014 - Moçambique

Dhlakama exige a recontagem dos votos das eleições gerais de Moçambique

No quadro da sua digressão pelo centro e norte de Moçambique, Afonso Dhlakama, líder da Renamo, principal partido de oposição, voltou a exigir a recontagem dos votos e avisou que se não houver governo de gestão haverá uma revolução.

Afonso Dhlakama, líder da Renamo
25/11/2014 - Moçambique

Dhlakama em digressão por Moçambique para explicar a sua posição

Afonso Dhlakama, líder da Renamo, principal partido de oposição, iniciou hoje uma digressão de cinco dias nas províncias de Sofala, Manica e Tete, para explicar à população a exigência de um governo de gestão face à alegada fraude eleitoral.

O candidato à presidência, Afonso Dhlakama do partido RENAMO, votando em Maputo. 15/10/14
24/11/2014 - MOÇAMBIQUE

Governo moçambicano e Renamo de costas voltadas

O governo moçambicano rejeitou a ideia da partilha de cargos da polícia e do exército, esta era uma exigência da Renamo. O maior partido da oposição que hoje anunciou o início esta terça-feira de um périplo pelo país do seu líder. Afonso Dhlakama pretenderia explicar à população a sua recusa em reconhecer os resultados das eleições gerais de 15 de Outubro, ganhas pela Frelimo, partido no poder.

O governo moçambicano expressa-se sobre os subsídios alegadamente pagos à Renamo
19/11/2014 - Convidado

O governo moçambicano expressa-se sobre os subsídios alegadamente pagos à Renamo

Continua acesa a controvérsia que estalou em Moçambique nos últimos dias, com o governo a afirmar ter pago subsídios de 90 mil Meticais à delegação da Renamo para participar nas negociações de paz, afirmações desmentidas pelo principal partido de oposição que desafia o executivo a apresentar provas.
Ao confirmar a existência de actas comprovando os referidos pagamentos, o ministro moçambicano dos transportes, Gabriel Muthisse, que participa no diálogo com a Renamo, refere que embora não seja habitual, se for necessário, o governo tornará estas actas públicas.

O Presidente Armando Guebuza e o líder da Renamo Afonso Dhlakama aquando da ratificação do acordo de cessação das hostilidades a 5 de Setembro de 2014
18/11/2014 - Moçambique

Fundo de paz aprovado em conselho de ministros em Moçambique

O conselho de ministros aprovou hoje o Fundo de Paz e Reconciliação Nacional prometido pelo executivo aquando da assinatura do Acordo de Cessação das hostilidades no passado mês de Setembro.

Governo de Moçambique afirma ter pago subsídios à Renamo no quadro das conversações de paz
18/11/2014 - Convidado

Governo de Moçambique afirma ter pago subsídios à Renamo no quadro das conversações de paz

A imprensa moçambicana noticiou que o governo afirma ter pago subsídios de 90 mil Meticais por mês à delegação da Renamo pela sua participação no diálogo com vista à paz, uma remuneração que ainda segundo o governo teria sido imposta pela Renamo logo após a assinatura do Acordo de Cessação das hostilidades no passado mês de Setembro.
Meque Braz, membro sénior da Renamo que participou até Março nas negociações do seu partido com o governo, nega tudo em bloco.

Close